Cacau: a sua origem e os benefícios para a saúde

Qual é a sua origem?
Proveniente do cacueiro Theobroma cacao e considerado como o “alimento dos Deuses”, o cacau é um dos alimentos históricos mais consumidos devido às suas propriedades curativas.
Então, dito isto, se vem de uma planta, significa que quando comemos cacau é equivalente a comer uma salada? Não é bem assim. Atualmente já existe no mercado pepitas de cacau em cru que facilmente podem ser adicionados às suas receitas para dar um toque mais doce e saudável, no entanto esta oferta ainda é limitada. Só por estar escrito na embalagem que um determinado produto contém uma certa percentagem de cacau, não significa que é mais saudável pois muitas vezes são adicionados muitos outros ingredientes que não são tão interessantes a nível nutricional. Daí que se deve sempre optar, quando possível, pelo produto que apresentar a maior percentagem de cacau.

Quais os subprodutos do cacau?
O licor de cacau, feito a partir dos grãos de cacau moídos, torrados e fermentados, é considerada a “matéria-prima” para a produção dos diferentes subprodutos do cacau comercializados atualmente. Quanto maior for a percentagem de licor, mais escuro é o chocolate.
O cacau em pó resulta da remoção da manteiga de cacau do licor, o chocolate sólido resulta na combinação entre o licor, a manteiga de cacau e açúcar, o chocolate de leite é feito com a adição de leite condensado ou em pó à mistura de chocolate, e o chocolate branco contém apenas manteiga de cacau combinada com adoçantes e produtos láteos. A qualidade e o sabor dos produtos de cacau dependem fortemente das várias etapas de processamento começando desde muito cedo com o cultivo, o armazenamento, a fermentação, a secagem e embalamento.

Quais os seus benefícios?
O cacau e os seus subprodutos são fontes muito ricas em polifenóis. Estas substâncias têm um papel fulcral para os benefícios da ingestão de cacau tais como:
• Proteção cardiovascular (devido à sua atividade antioxidante);
• Regulação do sistema imunitário;
Mas não só a presença de polifenóis torna o cacau como um dos alimentos nutricionalmente mais interessantes. A manteiga de cacau contém uma mistura de ácidos gordos monoinsaturados e saturados. A gordura monoinsaturada é aquela que o nosso corpo melhor tolera e reconhece-se por ser líquida à temperatura ambiente. No cacau, o ácido oleico é predominante nesta fração de gordura (tal como acontece no azeite).

Pelo contrário, a gordura saturada reconhece-se por ser sólida à temperatura ambiente e o seu consumo excessivo está associado ao aumento do risco de doenças cardiovasculares. Nesta fração do cacau estão presentes os ácidos palmítico e esteárico. O ácido esteárico é um ácido gordo saturado muito particular uma vez que não eleva os níveis sanguíneos de gordura da mesma forma que os outros. Assim, enquanto que o ácido gordo palmítico está associado ao aumento dos níveis de LDL (conhecido como o “mau colesterol”), o ácido gordo esteárico não. Relativamente ao elevado teor de fibras insolúveis no grão de cacau, grande parte destas são perdidas durante o processamento do cacau. Um estudo recente (2018) demonstrou que a ingestão diária de chocolate com mais de 70% de cacau na sua composição melhorou os parâmetros bioquímicos (colesterol total, triglicerídeos e nível de colesterol LDL no sangue) e parâmetros antropométricos (perímetro da cintura) dos indivíduos estudados.

Com isto, podemos concluir que, de acordo com as revisões cientificas estudadas, o consumo de cacau possui um efeito benéfico não só no metabolismo das gorduras e dos açúcares como na saúde em geral.

No entanto, é essencial que mais estudos sejam realizados para que seja possível definir a dose de cacau para ter acesso a todos os seus benefícios, estabelecer de forma clara a sua frequência de consumo ao longo do dia, perceber quem poderá ou não beneficiar do consumo de cacau e de que modo as diferentes formas de consumo, nomeadamente como bebida quente, poderá fornecer ou não estes mesmos benefícios.

Por Catarina Sofia Correia, nutricionista Clínica Tejo Saúde, parceira Fitness Hut – Grupo Viva Gym

You May Also Like

Testámos o novo Bio-Oil Gel e aqui partilhamos o resultado

Experimentámos SKINGAIN e o resultado foi este.

Afinal o que é a meditação? Por Maria João Viana

Lipoaspiração e lipoescultura: pois é, chegou o Verão. Por Luiz Toledo, cirurgião plástico

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt