Dia 13 de Outubro. Podia ser uma sexta-feira, mas não foi. Dia 13 de Outubro foi um sábado. O mesmo sábado que o Indiegente ganhou vida.

Indiegente Live 2019 toma conta do LAV no dia 19 de Outubro

Depois de uma primeira edição que era para ter sido também a única, eis que Nuno Calado surpreende tudo e todos ao anunciar a segunda edição do Indiegente Live.

Assim, pela segunda vez o programa ao qual o radialista dá vida desde há 22 anos na Antena 3 ganha corpo em cima do palco, entrelaçando músicos de diferentes estilos num rendilhado de parcerias musicais de elevadíssima categoria.

Para perceber melhor o que se vai passar desta vez, fizemos uma mão cheia de perguntas a Nuno Calado.

O que te levou a fazer uma segunda edição?
Foi o feedback que fui tendo logo no próprio dia do primeiro Indiegente. Tanto por parte de alguns dos músicos envolvidos, como do público que atravessou o país numa noite de temporal e devido ao entusiasmo do Pedro Valente no dia seguinte, porque se não fosse ele nada disto teria sido possível. Mesmo assim ainda foi difícil decidir avançar para a segunda edição porque não era algo que estivesse originalmente nos meus planos

O conceito deste segundo Live vai ser o mesmo?
Sim, o conceito vai ser o mesmo. No entanto, temos coisas novas. O ano passado anunciámos todos os intervenientes, já para esta edição resolvemos não divulgar algumas das participações para que seja mais divertido. Nessas surpresas estão músicos mais conhecidos e outros mais underground, abrimos a porta ao burlesco com a Manu de La Roche e inauguramos um espaço de palavra com o Paulo Lázaro a dizer poesia.

Das parcerias musicais do cartaz qual aquela que, na tua opinião mais, vai surpreender?
Não sei bem. Acho que este ano até existe um maior risco porque existem estreias de projectos. Estou muito curioso para ver tudo, até mesmo as participações surpresa. Claro que acredito que a junção do Rui Sidónio com os Parkinsons vai ser incrível, mas não menos entusiasmante vai ser o Rui Maia com as Anarchicks, a Selma, o Toni e o João Cabrita, os Dirty Coal Train com os Act-ups…Enfim vai ser tudo muito bom!

Na tua opinião, até que ponto um evento como este pode marcar a diferença no calendário musical nacional, preenchido por tantos festivais?
Para poder marcar a diferença é preciso acontecer com regularidade nos próximos anos. Para isso é preciso conseguir apurar o conceito e executá-lo com maior rigor. Continuo a achar que o Indiegente Live é apenas um evento e não um festival. Seria engraçado de alguma forma transformar-se num happening.

Podemos contar com um Indiegente Live 2020?
Gostava que fosse uma realidade, mas só depois de fazer contas e de perceber se as pessoas envolvidas estão disponíveis. Não gostaria de partir para essa aventura de uma terceira edição sem as duas pessoas que foram fundamentais nas duas primeiras edições, o já mencionado Pedro Valente e a Sónia Ramos. Se voltar a acontecer em Lisboa gostaria de voltar a ter a disponibilidade do LAV que sempre deu uma ajuda incrível. Gostava, no entanto, de cumprir o desejo de descentralizar e fazer também um Indiegente Live no Porto.

O evento, que vai tomar conta do LAV – Lisboa ao Vivo já no próximo sábado, conta com um alinhamento de luxo.

Para que tenham vontade e a irresistível tentação de vir ter connosco ao LAV, aqui vos dizemos que por lá também vão estar nomes como Algumacena (Alex D’alva Teixeira e Ricardo Martins), Anarchicks, Bizarra Locomotiva, Cabrita (projecto a solo de João Cabrita que comemora 30 anos de carreira em 2019), Dead Club, KNOT3 (projecto que reúne o casal Selma Uamusse e Toni Fortuna), Manu De La Roche, Nancy Knox, Pista, Rui Maia, The Act-Ups, The Dirty Coal Train, The Parkinsons e Vaiapraia.

Impressionante não vos parece?

Mas mais impressionante vão ser as conjugações musicais que vão ter lugar no sábado e que, à semelhança do que aconteceu o ano passado, vão certamente surpreender toda a gente. Para aguçar ainda mais apetite, podemos divulgar quatro delas: The Parkinsons & Rui Sidónio, dos Bizarra Locomotiva, Pista & Alex D’Alva Teixeira, Anarchicks & Rui Maia, e KNOT3 & Cabrita. Entre eles irão tocar temas em nome próprio e em conjunto com outros músicos, sem paragens.

Indiegente Live
LAV – Lisboa Ao Vivo
19 de Outubro
22h00

Relembrem aqui a edição 2018 e descubram um pouco mais sobre o programa Indiegente e o seu mentor Nuno Calado.

Texto: Sandra Pinto
Foto: Luís Pissarro

You May Also Like

Moonspell + Rotting Christ + Silver Dust no Capitólio em noite de celebração

Steve Jones dos Sex Pistols escolhe 12 álbuns essenciais

Quando David Bowie criou uma lista das suas músicas preferidas de… David Bowie

Vai nascer uma ilha no Teatro D. Maria II

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt