Cadeia Quinhentista

Chegámos a Estremoz num final de tarde com o sol ainda a pique a iluminar as casas tradicionais, as ruas empedradas e os monumentos que tanta fama têm trazido a esta terra alentejana. Vínhamos com um objectivo definido, o de conhecer aquele que nos foi descrito como um dos melhores restaurantes do Alentejo, de seu nome Cadeia Quinhentista.

É lá topo, por entre as muralhas que em épocas passadas protegiam a localidade de ataques inimigos, que o fomos encontrar. Em seu redor alguns dos ex-libris mais conhecidos de Estremoz, como o castelo com a sua torre de 27 metros de altura, o Paço Real, a casa do Alcaide e a Igreja Matriz.

Resultado da recuperação da antiga cadeia da comarca de Extremoz, o restaurante está a funcionar desde 2006, tendo sido já referenciado, não só pela sua gastronomia, mas também pela arquitectura do espaço, em algumas das mais prestigiadas publicações internacionais, que lhe gabam as harmonias.

Na verdade, instalado num edifício do século XVI, o Cadeia Quinhentista vive dessas harmonias: entre a história e a modernidade, entre a gastronomia e a arquitectura, entre o tradicional e a inovação. O resultado não podia ser melhor, pois este é na verdade um restaurante singular.

A aura medieval da construção mantém-se, contrastando de forma intensa com os laranjas e os vermelhos que servem de base às opções decorativas do restaurante. As paredes impressionam pela espessura e alguns pormenores, como o buraco por onde eram alimentados os reclusos mais perigosos ou a capela onde era rezada a missa, também.

Nas janelas ainda lá estão as grades, assim como foram preservadas as abóbodas em tijoleira. Mesmo o mobiliário actual e feito propositadamente para o restaurante, apela às antigas funções do espaço, pois nas cadeiras podemos observar o ferro trabalhado por artesões locais.

Através de um escada estreita, acreditem que é mesmo estreita, cujos degraus possuem uma altura muito pouco prática, chegámos ao terraço a partir de onde o olhar se perde na plenitude da paisagem alentejana. Ali, enquanto o pôr do sol se põe sobre a planície, apreciámos um cocktail e percebemos a magia deste lugar, desta terra, desta região.

O menu do Cadeia Quinhentista é elaborado com base na cozinha tradicional alentejana, sendo que na confecção das iguarias são utilizados, preferencialmente, produtos regionais. Depois há todo um manancial de maravilhas gastronómicas alentejanas que acompanham de forma perfeita os pratos confeccionadaos, como as ervas aromáticas, os enchidos, os queijos, os vinhos, o azeite, o pão…

Para começar, e antes mesmo de nos debruçarmos num difícil processo de escolha, chegou à mesa um «miminho» composto por favas com toucinho e queijo de cabra com mel e rosmaninho…excelente combinação!

Depois…bom, depois foi um desfilar de verdadeiras revisitações da gastronomia local com um lavagante gratinado com coentros frescos e salada da horta e uma salada de rúcula com queijo de cabra panado e fruta fresca. Seguiu-se uma deliciosa garoupa do Atlântico assada no forno à portuguesa e umas migas com carne de porco de alguidar!

As sobremesas passeiam-se entre as sugestões de fruta, como a manga em polpa com sorbet de tangerina e os doces tradicionais da região como o manjar celeste ou o pudim d’agua de Estremoz.

Em nosso redor ouvia-se falar holandês e francês por turistas visivelmente agradados com a refeição que estavam a degustar, o que em nada nos espanta, tal a qualidade das sugestões apresentadas. Claramente, um restaurante a (re)visitar em breve!

www.cadeiaquinhentista.com

Restaurante Cadeia Quinhentista
Rua Rainha Santa Isabel Castelo
Estremoz
Tel. 268 323 400
Horário de funcionamento: das 12h30 às 15h00; das 19h30 às 22h00

Texto: Sandra Pinto
Fotos : Luís Pissarro

You May Also Like

Mão Morta no LAV não há frio que nos derrube

Jamie Oliver’s Pizzeria o novo spot em Lisboa

Foi à Comic Con Portugal 2019? Descubra se faz parte das nossas galerias de fotos

Arcádia abriu no Chiado e com ela trouxe desde chocolates a tabletes

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt