Brands That Matter…Croissanteria Tradicional

Brands That Matter…Croissanteria Tradicional

O novo ano viu nascer a Croissanteria Tradicional. O novo espaço que agora abre portas em Lisboa, distingue-se pelo tamanho generoso do croissant e pelo facto de ser um negócio familiar, mas não só. Isso mesmo nos revelou Leonor Oliveira, sócia-gerente da Croissanteria Tradicional.

Quando nasceu a Croissanteria Tradicional? O que levou à sua criação?
A ideia surgiu há cerca de três meses, incentivada pelo meu irmão Vítor, que sempre teve o gosto por esta área de restauração e pastelaria. Abrimos portas na segunda quinzena do último dezembro e, portanto, aconteceu tudo muito rápido. Pelo menos rápido para nós, que todos tínhamos e temos outros trabalhos. Conciliar tudo foi tanto de desafiante como de divertido.

Este é um negócio familiar, que elementos da família fazem parte e quais as suas funções?
Deste projeto fazem parte eu e o meu marido Rui, o meu filho mais velho – o Gonçalo – e o meu irmão Vítor. O meu mais novo, embora jovem e ainda a estudar, também já vai dando algumas dicas. Em termos de funções, todos fazemos um pouco de tudo, mas diria que eu e o meu marido assumimos toda a parte da gestão financeira e das operações; o meu irmão no contacto com fornecedores e formação aos colaboradores; e o meu filho Gonçalo muito na comunicação e marketing, inovação e gestão do delivery, mas depois muito transversal também a outras áreas, desde o contacto com os fornecedores, a apoio no local com as nossas colaboradoras e, claro, no atendimento ao cliente. Mas, reforçando, todos fazemos um pouco de tudo, o que é ótimo, pois aprendemos muito e ajudamo-nos entre nós.

É fácil trabalhar em família?
Tudo tem os dois lados. Somos muito próximos, o que tem tanto de desafiante quanto de bom e divertido. Conhecemo-nos desde sempre, mas nunca em contexto profissional e é bom ver as mais valências de cada um e aprender com isso. Complementamo-nos entre todos e isso é maravilhoso.

Abrem agora em Lisboa. Porquê esta decisão agora?
Como mencionei acima, é uma decisão que vem de um desafio lançado pelo meu irmão. E a verdade é que sempre quisemos ter algo nosso e porque não? Decidimos abraçar esta aventura!

Onde vai estar instalada?
A croissanteria está localizada em Benfica, na Rua Amélia Rey Colaço, nº5i.

O que distingue os vossos croissant dos outros?
Os nossos croissants são uns dos maiores em termos de dimensão na Grande Lisboa, o que para os fãs de croissant este pode ser um bom ponto para considerar uma visita. Além disso, como eu costumo dizer são todos preparados “com amor e carinho” e que isso é o ponto chave para um croissant saboroso (risos). Estamos ainda a aprender esta que é a arte do croissant, mas a qualidade é algo fundamental para nós. Isso é a base de tudo. Além disso, temos todos muita vontade de aprender, melhorar e inovar. Todas as críticas – e elogios – são bem vindos.

Que tipos de croissant fazem parte do vosso menu?
No nosso menu temos o croissant principal, composto por uma massa entre o brioche e o folhado. Mas temos também o croissant francês e o vegan, em massa folhada.

Só doces ou também vamos ter ocasião de provar salgados?
Temos doces e salgados. Os doces vão desde o doce de ovo, ovo com amêndoa, nutella, caramelo salgado, chocolate branco e bueno, ao maçã e canela,
morango ou doce de frutos vermelhos. Já nos salgados temos, por exemplo, queijo fresco, tomate e orégãos e o presunto, queijo parmigiano e rúcula.

Têm também uma carta de bebidas. Revele tudo o que os visitantes vão lá encontrar?
Podem encontrar das bebidas quentes às frias. Nas quentes destacamos o cappuccino, latte macchiato, chocolate quente, mas também os nossos cafés com aroma. Nas bebidas frias, temos, por exemplo, os sumos naturais, batidos de fruta e as águas aromatizadas.

Para a Croissanteria Tradicional qual a importância do serviço? É a sua qualidade tão importante como a qualidade dos produtos?
Claro que sim! Os nossos colaboradores estão todos os dias no nosso espaço e são quem tem o contacto mais próximo com o cliente. A boa experiência passa pela qualidade dos produtos, mas também pelo bom atendimento. Enquanto negócio familiar, mas também parte do nosso objetivo de estarmos o mais envolvidos possível, sempre que conseguimos, estamos por lá, vamos conhecendo os nossos clientes e isso tem sido muito gratificante.

Vão ter opção de take away?
Temos sim, os nossos clientes podem fazer os pedidos para levar para casa ou pedir pelas aplicações de delivery com que trabalhamos, que são o Uber Eats e a Glovo e, em breve, a Bolt Food.

Ao nível de preços quais os que serão praticados?
A nível de preços, no caso dos croissants doces vão desde os 1,90€ a 2,50€ e, no caso dos croissants salgados, dos 1,90€ aos 3,80€.

Que expectativas têm relativamente à aceitação por parte dos consumidores lisboetas?
Estamos no nosso início e é a nossa primeira experiência na área e, por isso, não criámos grandes expectativas. Procurámos focar-nos naquilo que podemos controlar, que é a qualidade dos nossos produtos, o cuidado com que os preparamos e o serviço que apresentamos. Também temos em atenção ao espaço em si, para que seja o mais clean e funcional, mas também agradável, para que as pessoas se sintam bem.

A abertura de um segundo espaço está nos vossos planos?
Há muitos planos e claro que a abertura de um segundo espaço está nos nossos objetivos. Estamos a trabalhar para isso e esperamos ter novidades em breve.

You May Also Like

The Horoscope Edition: lenços para vestir o zodíaco

Arkopharma apresenta novos lançamentos

Triumph vai muito para além da praia

Calzedonia aquece o verão

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt