Os 10 livros preferidos de Tom Waits

Para além da música e do cinema, o músico e ator norte-americano Tom Waits, cultiva a paixão pela literatura. Na sua biografia Lowside Of The Road – A Life Of Tom Waits, escrita por Barney Hoskyns, a sua ex-namorada descreve a enorme coleção de livros e as noitadas que Tom fazia a ler até às cinco ou seis da manhã. É referida ainda a influência que autores como Jack Kerouac e William Burroughs, da geração Beat, ou Charles Bukowski e o Nobel da Literatura, Bob Dylan, tiveram na sua música e na sua escrita enquanto compositor.

Numa entrevista à revista Mojo que o bertrand.pt divulgou, Waits confessou a sua admiração por estes escritores e partilhou uma lista dos seus 10 livros preferidos.

The Americans, de Robert Frank
Considerada a obra-prima do fotógrafo Robert Frank, The Americans é uma das obras de fotografia mais influentes da História. Publicada em 1958, em França, é composta por 83 fotografias que retratam o quotidiano do cidadão comum dos Estados Unidos da América na época do pós-guerra. Sobre a origem desta, afirmou o autor: “Estava farto de romantismo”, “[q]uis mostrar o que vi, pura e simplesmente.” Com esta intenção em mente, fotografou o lado obscuro do sonho americano, tratando assuntos complexos como as desigualdades económicas ou o racismo. Esta linguagem artística simples e autêntica está também na origem da geração Beat, que surge na mesma altura, razão pela qual o livro inclui uma introdução escrita por Jack Kerouac.

Pic, de Jack Kerouac
Sendo uma das principais influências de Tom Waits, é apenas natural que Jack Kerouac, o mais popular autor da Geração Beat, figure nesta lista. Contudo, em vez da sua magnum opus Pela Estrada Fora, Waits prefere uma obra menos conhecida do autor – o último livro publicado por Kerouac, intitulado Pic. Publicado em 1971 (dois anos depois da morte do autor), narra a história de um rapaz chamado Pictorial Review Jackson – ou, simplesmente, Pic -, que, com apenas 10 anos, parte numa viagem de carro pelos EUA juntamente com o seu irmão, de modo a escapar a um lar disfuncional. Embora evoque ecos de Pela Estrada Fora, pelo tema da viagem, este livro, escrito a partir da perspetiva de uma criança é, acima de tudo, uma história sobre os laços familiares e uma prova de que o amor é sempre mais forte.

The Last Night of the Earth Poems e It Catches My Heart In Its Hands, de Charles Bukowski
Com dois livros seus nesta lista, Charles Bukowski é, claramente, uma das maiores inspirações de Tom Waits. The Last Night of the Earth Poems e It Catches My Heart In Its Hands são duas antologias de poesia deste que foi um verdadeiro porta-voz dos que viviam à margem da sociedade. Em entrevista à revista Mojo, Waits descreve Bukowski como “um dos mais importantes escritores de ficção, prosa e poesia da literatura contemporânea”, existindo vários vídeos do músico a ler excertos dos seus poemas.

Nove Histórias, de J.D. Salinger
Da autoria de J. D. Salinger, autor do clássico À Espera no Centeio, este livro reúne alguns dos melhores contos escritos em língua inglesa. Publicado pela primeira vez em 1953, inclui algumas das histórias mais populares do escritor norte-americano, tais como como Um dia ideal para o peixe-banana ou Para Esmé – Com Amor e Sordidez.

The Collected Works of Billy the Kid, de Michael Ondaatje
Um dos 50 livros preferidos de Nick Cave, figura também na lista de Tom Waits. Da autoria do multipremiado Michael Ondaatje, The Collected Works of Billy the Kid narra a história real de William “Billy The Kid” Bonney, pseudónimo de William Henry McCarty, um pistoleiro e fora-da-lei, que viveu no Novo México durante o século XIX. Publicado em 1970, o livro escrito em verso ficciona algumas das mais importantes façanhas de Billy, desde os alegados 21 assassinatos (o mesmo número de anos que viveu), até à sua morte às mãos do xerife Pat Garrett.

OUTROS LIVROS
The Stories of Breece D’J Pancake, de Breece D’J Pancake
The Light The Dead See, de Frank Stanford
Hard Candy, de Tennessee Williams
The Old West: The Gunfighters, de Paul Trachtman

You May Also Like

Rui Reininho abre a temporada 2021/2022 da Culturgest

“Let’s Do Beautiful” a campanha que celebra o 111º aniversário da Douglas

Galante recebe exposição de Mário Belém

Marca portuguesa recebe malas de luxo para reparação. Chama-se Ownever

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt