O Crime do Padre Amaro e A Relíquia de Eça de Queiroz

No ano em que se assinalam os 120 anos da morte do autor, as obras O Crime do Padre Amaro e A Relíquia ganham edições renovadas no catálogo da Livros do Brasil.
Ambos recomendados como sugestão de leitura para o Ensino Secundário pelo Plano Nacional de Leitura (PNL), os romances agora reeditados são exemplos máximos da escrita perspicaz e, por isso, ainda atual de Eça de Queiroz. Em O Crime do Padre Amaro e A Relíquia encontramos um Eça sarcástico, que questiona os valores provincianos e o conservadorismo da sociedade portuguesa do século XIX, ao mesmo tempo que tece várias críticas aos moralismos da Igreja Católica.

As obras contam com fixação do texto e notas de Helena Cidade Moura.

Sobre o autor
Nasceu a 25 de novembro de 1845, na Póvoa de Varzim, e é considerado um dos maiores romancistas de toda a literatura portuguesa, o primeiro e principal escritor realista português, renovador profundo e perspicaz da nossa prosa literária. Entrou para o Curso de Direito em 1861, em Coimbra, onde conviveu com muitos dos futuros representantes da Geração de 70. Terminado o curso, fundou o jornal O Distrito de Évora, em 1866, órgão no qual iniciou a sua experiência jornalística. Em 1871, proferiu a conferência «O Realismo como nova expressão da Arte», integrada nas Conferências do Casino Lisbonense e produto da evolução estética que o encaminha no sentido do Realismo-Naturalismo de Flaubert e Zola. No mesmo ano iniciou, com Ramalho Ortigão, a publicação de As Farpas, crónicas satíricas de inquérito à vida portuguesa. Em 1872, iniciou a sua carreira diplomática, ao longo da qual ocupou o cargo de cônsul em Havana, Newcastle, Bristol e Paris. Foi, pois, com o distanciamento crítico que a experiência de vida no estrangeiro lhe permitiu que concebeu a maior parte da sua obra romanesca, consagrada à crítica da vida social portuguesa e de onde se destacam O Primo Bazilio, O Crime do Padre Amaro, A Relíquia e Os Maias, este último considerado a sua obra-prima. Morreu a 16 de agosto de 1900, em Paris.

O Crime do Padre Amaro e A Relíquia
Eça de Queiroz
Livros do Brasil

You May Also Like

À conversa com o artista urbano Miguel Mazeda aka Guel Do It

“Amália nas Suas Palavras” de Manuel da Fonseca

“Os Pássaros e Outros Contos Macabros”, de Daphne du Maurier

Quinta do Crasto Vinha da Ponte 2016

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt