“Não Posso Ser Quem Somos? – Identidades e Estratégia Política da Esquerda”, de Andrea Peniche, Bruno Sena Martins, Cristina Roldão e Francisco Louçã

Quando Donald Trump foi eleito o 45.º presidente dos Estados Unidos da América, o seu ideólogo e diretor de campanha, Steve Bannon, terá afirmado «quero que falem de antirracismo todos os dias.

Se a esquerda está focada em raça e identidade e nós avançamos com o nacionalismo económico, esmagamo-los». Mas terá sido esse o ponto de partida para o crescimento dos movimentos nacionalistas e dos ideais de direita? Ou será que, por outro lado, estamos a recuar na luta pelos direitos cívicos e sociais?

Quatro autores peritos nas suas áreas falam-nos dos temas mais relevantes e fraturantes da discussão política e social dos dias de hoje. Lembrando os movimentos sociais que marcaram o século XX, como o feminismo, a libertação gay, e as contantes lutas pelos direitos cívicos de todos os povos, a política identitária tornou-se o tema mais importante na discussão da estratégia política desde a eleição de Trump e desde o Brexit, com reflexos também nas nossas eleições legislativas.

Neste livro, os autores baseiam-se na experiência e nos debates dos movimentos feminista e antirracista, bem como de outros movimentos
sociais, surgidos nas últimas décadas, para desafiar a maldição de Bannon e apontar soluções para uma esquerda democrática que lute pela defesa dos direitos sociais.

“Não Posso Ser Quem Somos? – Identidades e Estratégia Política da Esquerda”
Andrea Peniche, Bruno Sena Martins, Cristina Roldão e Francisco Louçã
Bertrand

You May Also Like

À conversa com Manuel Molarinho da editora Saliva Diva

“Tyll – O Rei, o Cozinheiro e o Bobo”, de Daniel Kehlmann

Fizemos um workshop de maquilhagem Fun Fashion e adorámos

ModaLisboa Mais divulga calendário de desfiles

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt