Capa de vinil sobre tapete vermelho – THE STRANGLERS – IV RATTUS NORVEGICUS (1977)

Comecemos pelo princípio, mas afinal qual é o título deste álbum? ‘Rattus Norvegicus’ ou ‘IV Rattus Norvegicus’?

Por Jon Marx

Consultando as fontes mais fidedignas (o curso de História serviu para alguma coisa, finalmente), em ‘A Multitude Of Sins’, a autobiografia do guitarrista proscrito Hugh Cornwell, o autor refere-se ao disco como ‘Rattus Norvegicus’ (no índice) e ‘Rattus Norvegicus IV’. Já Chris Twomey, autor do livro ‘The Men They Love To Hate’ que acompanha a caixa ‘The Old Testament’, um registo que reúne todas as gravações de estúdio realizadas entre 1977 e 1982 para a defunta United Artists, refere que o verdadeiro nome do LP é ‘Stranglers IV – Rattus Norvegicus’, um exemplo do humor corrosivo da banda.

O ano de 1977 foi uma época muito produtiva para os Stranglers. Em Abril foi editado este ‘Rattus Norvegicus’ e, em Setembro, saiu para as lojas o segundo álbum, ‘No More Heroes’. Também são lançados meia-dúzia de singles e um EP, quase todos recuperando temas que aparecem no alinhamento dos dois álbuns, salvo raras exceções. Toda esta produção deve-se ao facto da banda andar a testar estas canções no circuito dos bares desde 1974, mantendo assim uma enorme quantidade de material de reserva.

O exemplar que vos trago hoje é uma edição norte americana de 1977. Foi comprada na Feira de Vandoma, em 1979 ou 1980, ainda este evento se realizava no Largo da Sé e arredores. Custou-me um balúrdio, 1,000 escudos (5 euros, cambada). Para colocar em contexto, devo dizer que, num dia bom, era difícil arrecadar metade desse valor com as tralhas que vendia. Como os Stranglers eram uma das minhas bandas favoritas, foi como encontrar o Santo Graal. Encontrei o disco às primeiras horas da manhã e consegui um acordo com o vendedor de o reservar durante 2 horas. Graças a uns saldos que fui obrigado a fazer e ao dinheiro emprestado por vários amigos, levei o disco para casa e aqui o coloco num estado muito aceitável.

Como curiosidade, devo acrescentar que tenho por cá um outro disco com uma capa que utiliza a mesma imagem. Trata-se da edição portuguesa de 1978, via Rádio Triunfo, do 7″ ‘5 Minutes/Rok It To The Moon’. Nesta edição, a palavra ‘Rok’ aparece corrigida para ‘Rock’, na etiqueta e na contracapa, o que não acontece na edição original.

You May Also Like

À conversa com o cantautor Miguel Reis aka Tio Rex

Capa de vinil sobre tapete vermelho – FRIPP & ENO – (NO PUSSYFOOTING) (1973)

À conversa com o músico José Manuel Gomes sobre o projeto Jubilee

Toxikull anunciam novo single “Darkness” com a participação de Marta Gabriel dos Crystal Viper

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt