A minha vida num disco: Manuel Fernandes da Bunker Store

Localizada no centro da cidade do Porto, a Bunker Store é uma das lojas referência para os amantes de música. Dedicada ao universo do metal, mas não só, podem conhecê-la melhor na entrevista ao seu mentor, Manuel Fernandes.

Desafiado para partilhar aquele disco tão especial, Manuel Fernandes não hesitou e fez-nos chegar a sua escolha.

A minha vida num disco: Manuel Fernandes

A escolha é fácil: “Passage” dos Samael, de 1996.
É o que eu defino como um álbum perfeito. Resume na perfeição tudo o que para mim é superior na música: extremismo, criatividade, experimentalismo, vanguardismo, melodia, poesia, tudo em em doses q.b. do primeiro ao último segundo. Temos uma sensação omnipresente de grandiosidade, em que cada música é um hino. Defino-o igualmente como a mescla perfeita entre o extremismo do Black Metal e o experimentalismo do Industrial e da eletrónica
O artwork é simples, mas igualmente assombroso e muito eficaz.
Tem tudo a ver com os meus gostos: temos e devemos ser ecléticos.
É um álbum que marca muito, dá força anímica quando estamos em baixo, e um poder e um prazer indescritível quando estamos bem.
É uma “bíblia” musical a todos os níveis, incluindo a nível espiritual e filosófico… tem uma faixa em particular que considero um hino e uma “oração” de todos os ateus – eu incluído – que é o “My Saviour”. Leiam a letra e vão compreender.

P.S. Para os mais ousados aconselho igualmente a audição da versão orquestral/neoclássica do mesmo: “Passage” de Xytras (teclista/ baterista/ compositor dos Samael).

You May Also Like

A minha vida num disco: Ricardo Agostinho do site [ar.cai.co]

A minha vida num disco: João Vairinhos

A minha vida num disco: Nuno Miranda da Gruesome Records

À conversa com o músico João Spencer dos Mazarin

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt