“Zeus” filme de Paulo Filipe Monteiro sobre Manuel Teixeira Gomes

Talentoso escritor, sensual na prosa e livre no temas quase sempre eróticos, Manuel Teixeira Gomes é eleito Presidente da República em 1923. Depois de 26 meses pede a demissão. Muda de vida, ruma ao Norte de África, instala-se na Argélia, onde morra 15 anos depois. Hoje nasce este filme numa lindíssima homenagem a uma vida e personagem única, mas também um hino à liberdade, à coragem e à amizade.

«Basta! Estou farto. Qual é o primeiro barco a sair de Lisboa? Não é daqui a um mês, é já. Zeus? É um cargueiro? Não me importa, hão-de levar-me. Não me interessa para onde vão. Parto sem um papel, nada que me lembre a minha vida de escritor ou de Presidente.»

SINOPSE
Manuel Teixeira Gomes, criado no sul de Portugal, diante do mar, numa cultura muito árabe. No começo do século XX é um talentoso escritor, muito sensual na sua prosa e muito livre nos seus temas quase sempre eróticos. Em 1923 é eleito Presidente da República. O filme começa nesses anos agitados: a ascensão do fascismo é o contexto dramático das iniciativas de Gomes que, apesar das constantes revoltas militares, consegue formar governos reformistas. E, de repente, Gomes parte. Pede a demissão e procura o primeiro barco que sai de Lisboa. É um cargueiro, chama-se Zeus e parte sem um passageiro.

FICHA TÉCNICA
Realização: Paulo Filipe Monteiro
Com: Sinde Filipe, Ivo Canelas, Catarina Luís, Paulo Pires

zeus

Por: Sandra Pinto

You May Also Like

Festival Política regressa ao Cinema São Jorge

Está fechada a programação do IndieLisboa 2020

World of Wine chega ao Porto

A música está de volta à Quinta da Comenda

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt