Yoroshiku edita Terra, o seu terceiro álbum de originais

Yoroshiku, Músico, DJ, Produtor e Promotor de Coimbra, publicou em edição de autor “Terra”, o seu terceiro álbum de originais. O álbum está disponível no Bandcamp e nas principais plataformas de streaming, tendo também uma edição limitada em CD.

«Assim como o Alexandre está na vida, Yoroshiku é na música: mente aberta e espírito livre», começa por referir o comunicado enviado à redação da LOOK mag.

«O que o primeiro absorve no seu dia a dia: da curiosidade por filosofias ancestrais e costumes forasteiros ao aprofundar da espiritualidade e dos relacionamentos humanos; o segundo reflecte na sua Música, onde cruza Jazz com House ou Folk dos Balcãs, atmosferas étnicas e tropicais, cantos sagrados, cumbias e psicadelismos ritualizados com influências electrónicas várias, por vezes disruptivas, numa viagem a um Mundo sem fronteiras nem obstáculos que apenas não é utópico porque existe através do espírito da música», revela o comunicado sobre Yoroshiku, avançando que o músico «atuou um pouco por todo o país e fez duas tours europeias em que atuou em Festivais, Clubes, Galerias de Arte, Squats, etc. Estónia, Letónia, Lituânia, Suécia, Noruega, Alemanha e Macedónia em destaque. Com quase duas décadas de carreira e dois álbuns editados pela MIMI Records: “Birds” (2010) e “Libérez le Monde” (2013) edita agora o terceiro álbum “Terra”, em edição de autor e seu primeiro longa-duração. Yoroshiku gosta de viajar, de instrumentos raros, e de se expressar através das Artes, sejam elas a Escrita, a Pintura, ou a Música. Encontra nelas uma linguagem de liberdade e por vezes de catarse e também de cura e desenvolvimento humano. Desenvolveu vários projectos, ligados à Cultura, com destaque para a produção de eventos, onde é um dos agentes mais activos na sua cidade natal: Coimbra. Fundou o programa de rádio “Artes Sob Escuta” e a Speakeasy – Arts & Music Agency. Fez curadoria na programação de vários pontos culturais da região, desde o mítico States Club ao Festival MostrArte ou ao Speakeasy Festival. Recentemente manteve uma parceria na programação musical da Galeria Santa Clara e geriu O Sítio – um projeto multidisciplinar onde explora vários conceitos ligando as artes, natureza, música e desenvolvimento humano».

You May Also Like

Curiosidade: Sabia que o batimento do seu coração se ajusta à música que está a ouvir?

À conversa com Miguel Ribeiro dos The Happy Mess

À conversa com Márcio Laranjeira sobre o projeto Capacitação para a circulação: Autogestão na produção musical

(Novo) regresso aos concertos no Barreiro

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt