Top Ten dos melhores álbuns para os Grand Sun

King Gizzard and The Lizard Wizard – Nonagon Infinity (2016)
Este é um disco consensualmente adorado pela banda. Com influências desde o Kraut, ao Psych, ao Prog e ao garage, este disco é uma viagem infinita ligada à corrente de uma banda constantemente em reinvenção. Já os vimos ao vivo várias vezes e é impossivel nao ficar contagiado pela energia galopante dos concertos.

Flaming Lips – Yoshimi Battles the Pink Robots (2002)
Que disco… Falam-nos de robots, falam-nos de lutadores, de karaté e pelo meio falam de tudo que andamos à procura e não sabemos.

IDLES – Joy as an Act of Resistance
Numa Europa mergulhada em crise ideológica, os IDLES são da bandas mais relevantes do momento. Canções cheias de alma, raiva, mensagem e com uma força desmedida e pertinente para os nossos tempos.

Parquet Courts – Light Up Gold (2012)
Este disco é a chegada duma banda que vai buscar uma energia que nem sabíamos que estava lá. Uma das nossas maiores influências.

Mild High Club – Skiptracing (2016)
A produção deste disco é imaculada, é bastante descontraído e presta homenagem às malhas de sunshine pop dos anos 70 (Todd Rundgren, T.Rex, etc) sem deixar de permanecer atual.

Stone Dead – Good Boys (2017)
Se o nosso ‘Sal Y Amore’ tem mais jarda é muito em parte por causa deste disco. É um clássico moderno de punk e de rock, como se os Beatles tivessem crescido em Manchester. Das bandas portuguesas que mais gostamos.

Silver Jews – American Water (1998)
Através da faixa de abertura ‘Random Rules’, é um disco que nos leva o tempo todo por Lou Reed e por Pavement. Só personalidade.

Boogarins – Manual (2015)
Uma viagem pelo interior do ser através de melodias, letras e arranjos que fazem uma sinestesia psicadélica perfeita e que resultam numa essência que nos embala. Apesar dos discos que se sucedem serem ainda mais expansivos, este fez muito pela banda.

Triptides – Visitors (2018)
Tivemos a sorte de tocar com os Triptides quando a euro tour deles passou por Portugal. Este disco é um ótimo ponto de partida para todo o trabalho anterior, invocando a sonoridade de bandas como os Rain Parade, os Byrds e os Floyd. Belíssima sinergia de orgãos elétricos, cítaras e guitarras de 12 cordas.

TOOL – 10,000 Days (2006)
Este é um grande exemplo de um álbum de art-rock onde o conceptual impera, excelente para uma viagem de carro.

_________________________________________________________________________
Outros discos que adoramos
Temples – Sun Structures
Beach Fossils – Somersault
Foxygen – We Are the 21st Century Ambassadors of Peace & Magic
Brian Jonestown Massacre – Their Satanic Majesties’ Second Request
Real Estate – Atlas
Fontaines DC – Dogrel
The Zombies – Odessey and Oracle
Todd Rundgren – Something / Anything
Omni – Multi-task
MGMT – Little Dark Age
El Señor – Suburbs of Joy
Ariel Pink – Dedicated to Bobby Jameson

Conheçam o novo trabalho dos Grand Sun aqui.

You May Also Like

À conversa com Carlos Mendes dos The Twist Connection

À conversa com os The Miami Flu sobre a nova “New Season”

À conversa com Rita Sedas da Throwing Punches

Quinta edição do festival online Wash Your Hands Say Yeah

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt