Top Ten dos melhores álbuns para as Spicy Noodles

Top Ten de Filipa

Ornatos Violeta “O Monstro Precisa de Amigos”
Tenho uma grande admiração pelo Manel Cruz, todos os projectos musicais em que embarcou são bonitos, repletos de sons e imagens. O Monstro é talvez o mais redondo, ou quem sabe a memoria emocional seja traiçoeira e nos/me leva a crer que é.

Mutantes “A Divina Comédia ou Ando Meio Desligado”
Sou mega fã da música brasileira, este CD é, para mim, uma referência a toda energia e originalidade que ela nos traz.

Sérgio Godinho e Clã “Afinidades”
Não só uma fórmula mágica de fazer um dois em um, mas também um CD marcante da música portuguesa. As letras do Sérgio Godinho são as melhores do mundo (tenho sempre um maneira hiperbólica de descrever coisas que gosto muito, por isso podem dar margem para dúvidas), a músicas dos clã é maravilhosa e depois temos a voz da Manuela… o que mais podemos querer?

Animal collective “Merriweather Post Pavilion”
Uma vez desenhámos a santa ceia e no centro estávamos nós as duas, e escolhemos algumas pessoas para se sentarem à mesa, uma delas foi o Panda Bear. As mil músicas que ouvimos dentro de cada música de AC é qualquer coisa do outro mundo, podemos dizer que é amor. É difícil escolher um álbum de AC, a escolha foi para o MPP porque guarda a música My girls.

Érika Machado “No Cimento”
Quando conheci a Érika as primeiras conversas foram à volta da música. Tivemos oportunidade de trocar figurinhas, e a Érika mostrou-me o seu primeiro CD, eu ouvi sem parar de uma ponta à outra, é daqueles CDs de se pôr em repeat, pelas músicas e pela voz da Érika que é a mais bonita.

Top Ten de Erika

Bjork “Post”
Talvez esse tenha sido o disco que mais ouvi na vida, lembro que descobri o botão do repeat com ele, eu fiquei colada quando ouvi o álbum Debut, desde a primeira escuta a Bjork virou a minha artista favorita. Na verdade ainda não consigo me decidir qual dos dois é o meu álbum favorito, mas escolhi o Post porque ele veio com o combo daqueles videoclipes incríveis.

Pato Fu “Rotomusic de Liquidificapum”
Também não saberia dizer qual disco dos Pato Fu eu gosto mais, mas o Rotomusic de Liquidificapum foi o álbum que me apresentou os Pato Fu, lembro que fiquei super entusiasmada quando ouvi, e achava uma baita sorte ser da minha cidade a banda mais legal do planeta. Mais tarde o destino me presenteou com a oportunidade de trabalhar com eles e ainda por cima ficar amiga deles. O John Ulhoa (que é o produtor, guitarrista, compositor, etc.) do Pato Fu é também nosso parceiro no álbum, ele produziu, misturou e masterizou o Sensacional! Eu chamo ele de Mestre porque aprendo com ele o tempo todo, acho que isso é um golpe de sorte que a vida me deu.

Suzanne Vega “Nine Objects of Desire”
A Suzanne Vega tem nesse álbum, a voz mais bonita que algum dia eu já ouvi, e além de super bonitas, estão super bem colocadas. As vezes eu fico viciada num álbum até me intoxicar dele, mas esse disco é para ouvir eternamente.

The Boy Least Likely To “The best party ever”
É para mim o disco mais legal desse milénio, cheio de personalidade, cores e alegria ouvir The best party ever me alegra a alma, e para além disso, a capa é maravilhosa e o nome também é óptimo.

The Thing Things “We Started Nothing”
Não é uma banda que eu acompanhe tão de perto, mas We Started Nothing é sem dúvidas um álbum genial, adoro o jeito que a vocalista canta, totalmente lindo e fora dos padrões, esse álbum é energia pura.

You May Also Like

Andrew Bird recebe Matt Berninger em The Great Room

“Li Shuwen” é o segundo tema de “Kung Fu” de Stereoboy

Nuno Rancho apresenta “I’ll Never Play This Live”

Throes + The Shine remisturam Whales

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt