Nick Suave é um homem em constante movimento é um eufemismo: o disco "Português Suave", que sairá a 13 de Abril, será o 57.º disco da carreira de Nick e o início de uma nova fase na sua carreira: a escrita e interpretação em português.

“Perdido” é o primeiro single de Suave, novo projecto de Nick Suave

Nick Suave, que anteriormente se apresentava como Nick Nicotine, é o pseudónimo de Carlos Ramos. Criado na fumarenta e cinzenta cidade do Barreiro dos anos 80 começa a editar discos pela sua própria editora (Hey, Pachuco! Recs) a partir de 2000. Homem dos sete instrumentos divide-se entre a voz, guitarra, baixo e bateria em dezenas de bandas (Nicotine’s Orchestra, The Act-Ups, Los Santeros, Bro-X, The Jack Shits, entre muitas outras). É, também, desde 2000 o diretor de um dos mais antigos e carismáticos festivais portugueses, o Barreiro Rocks.

Em 2008 abre o Estúdio King, no Barreiro, local de onde saem alguns dos melhores discos de rock and roll da última década.

Dizer que Nick Suave é um homem em constante movimento é um eufemismo: o disco “Português Suave”, que sairá a 13 de Abril, será o 57.º disco da carreira de Nick e o início de uma nova fase na sua carreira: a escrita e interpretação em português.

Nick Suave é um homem em constante movimento é um eufemismo: o disco "Português Suave", que sairá a 13 de Abril, será o 57.º disco da carreira de Nick e o início de uma nova fase na sua carreira: a escrita e interpretação em português.

Suave é o novo projeto de Nick Suave. Após quase duas décadas a ser referencia incontornável no panorama mais alternativo do rock and roll nacional, Nick pega na energia que o contagia e apresenta o disco PORTUGUÊS SUAVE. Este trabalho mostra-nos uma aproximação a universos sonoros que Nick já havia explorado no passado mas, desta feita, cantando num português direto e, claramente, apontado aos corações. Com a sua voz característica, Nick canta variações sobre o tema do amor alicerçadas numa música onde se conseguem ouvir claramente as suas maiores influências: Motown e o rock and roll mais antigo mas sem qualquer pretensão ao revivalismo. Música intemporal, com os pés assentes confortavelmente em 2018.

O disco foi composto por Nick com a colaboração de Ricardo Guerreiro em algumas letras e gravado por Ricardo Riquier nos estúdios iá em 2017. A banda é composta por Nick Suave na voz, teclas e guitarra, Fred Ferreira na bateria (Orelha Negra, Buraka Som Sistema), Cláudio Fernandes no baixo (Pista, Nada-Nada), Ernesto Vitali na guitarra (Nicotine’s Orchestra, Pista) e irá para a estrada a partir de Abril, levar a festa aos palcos de todo o país.

Concerto de apresentação no dia 27 de Abril no Musicbox, em Lisboa

You May Also Like

Uma mão cheia de músicas para se gostar de Bon Iver

NOS Alive 2019

Descubra quais os discos preferidos de algumas estrelas do universo da música

Joan Baez no Coliseu de Lisboa, um adeus sentido

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt