O regresso ao futuro dos Muse em Lisboa

Foi no Passeio Marítimo de Algés que os Muse regressaram a Lisboa para nos levarem todo num regresso ao futuro cheio de robots, luzes, e muita música.

Espectáculo quase teatral foi aquilo que os Muse trouxeram ao espaço onde já nos habituámos a ver o NOS Alive. Um palco impressionante albergava la ao fundo, como cenário um enorme ecrã onde durante todo o concerto iriam passar imagens que dariam outra amplitude ao concerto dos britânicos.

Cenário sempre futurista e por vezes apocalíptico, transportou cada um de nós para um futuro que nos assusta. Um futuro onde as máquinas mandam e onde o ser humano é só mais um elemento da engrenagem. No ecrã frases de néon, em palco soldados futuristas que receberam o vocalista Matthew Bellamy.

Uma dimensão brutal para um espectáculo audiovisual impressionante. Efeitos especiais imaculados com tudo programado ao detalhe. Da primeira à última música do alinhamento, o desfilar de grandes temas de uma banda que tem já uma história antiga com Portugal. Uma imensidão de luzes e neons trouxeram ao Passeio Marítimo de Algés uma realidade virtual que muito entusiasmou o público.

O auge da emoção chegou quando um gigantesco monstro insuflável se ergueu no palco. Enorme, as suas garras quase que alcançavam a totalidade da largura do cenário. Impressionante!

Impecavelmente interpretados, os temas que integram o alinhamento da “Simulation Theory” encheram o recinto de muita nostalgia. Pelo meio temas do recente álbum lançado em 2018.

Ninguém ficou indiferente a “Algorithm”, “Pressure”, “Propaganda” e “Thought Contagion”. Mas foram outras as músicas que fizeram todos mexer. Grandes clássicos como “Plug in Baby”, “Hysteria”, “Time is Running Out” ou “Supermassive Black Hole”, deixaram a plateia feliz, especialmente os fãs mais antigos.

“Psycho”, “Uprising” e “Starlight” surgiram no meio de um alinhamento top que terminou com “Knights of Cydonia”, tema que desde há uns anos fecha os concerto da banda. Grandioso concerto, como seria de esperar dos Muse!

A abrir para os Muse duas bandas, a primeira das quais foram os Mini Mansions. Vindos de Los Angeles, cidade norte-americana de onde são originários, a banda actou com o sol a pique (cerca das 17h30) e com a plateia a compor-se anunciando que o lançamento do seu próximo álbum está para breve, sob o nome “Guy Walks Into a Bar…”.

Ao fim da tarde, foi a vez de Miles Kane nos dar música. Com Alex Turner, o vocalista dos Arctic Monkeys, o músico britânico integra os The Last Shadow Puppets. Com a plateia mais composta, o músico britânico foi desfilando pelo palco alguns dos seus temas.

Texto: Sandra Pinto
Fotos: Luís Pissarro

You May Also Like

Lola Lola editam 7′ e apresentam videoclip “Killed a man in a field”

Beneath the Eyrie é o novo álbum dos Pixies

MGLA no RCA Club. O nevoeiro chegou a Lisboa…

Super Nova regressa para a 6.ª edição com a Super Bock

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt