Martin Carr edita New Shapes of Life em Outubro

“New Shapes Of Life” é o terceiro disco em nome próprio de Martin Carr e o segundo do artista editado pela Tapete Records.

Grande parte de 2015 foi passado no seu estúdio a tentar escrever músicas, sem chegar a lado nenhum e a sentir-se inútil até que David Bowie morreu. Deixou as suas composições e mergulhou a fundo no trabalho de David Bowie, discos, filmes e biografias. Não fez mais nada durante semanas a fio. O que retirou do trabalho de Bowie foi a responsabilidade do artista, da importância de se exprimir através dum determinado meio e isso fez com que refletisse sobre a sua vida e nos anos que tinha desperdiçado a viver a vida dum artista mas a negligenciar a arte.

Largou tudo em que estava a trabalhar e começou a compôr um novo disco. Começou do zero, compôr e gravar, às vezes ao mesmo tempo, no seu estúdio em Cardiff. Estava à procura dum som e voz que fosse só seu. Esse foi o ponto de partida. Ser ele próprio, tentar descobrir o que fazia dele o que era e porque se comportava daquela forma.

As letras foram escritas primeiro, o que é diferente do habitual para Martin Carr, mas eram elas eram a força motriz das músicas e isso fez com que se concentrasse muito mais no que queria dizer do que nas rimas. Escreveu até se sentir vazio.

Desconstruiu a forma como trabalhou durante as últimas duas décadas e isso, de alguma forma, o despedaçou. Por ter ido ao limite, o seu bem-estar mental ficou em jogo e começou a sentir-se paranóico e ansioso, a falar consigo próprio até que se foi completamente abaixo e com a ajuda da família, decidiu ir ao médico. Algo que devia ter feito há muitos anos atrás.

Tentou voltar ao disco mas o seu lugar já era outro e passou seis meses à procura de alguém para o misturar. No Inverno de 2017 gravou um novo single, “Gold Lift”, inspirado na fotografia de Donald Trump e Nigel Farage tirada no dia a seguir à eleição presidencial. Perguntou a Greg Haver, um produtor e amigo de Cardiff que vivia na Nova Zelândia, se o podia ajudar na mistura. Com a ajuda de Greg que depois enviou a música para Clint Murphy para uma mistura mais aprofundada, Martin Carr encontrou assim a solução para a mistura de “New Shapes Of Life”.

Agora medicado, este disco representa o final dessa parte da vida de Martin Carr.

You May Also Like

As 15 melhores músicas de 2018 by Filipa Moreno

WoodRock Festival anuncia 7.ª edição

Festival Laurus Nobilis 2019 apresenta cartaz

IDLES no Lisboa ao Vivo e a luta continua