IndieLisboa arranca a 20 de abril

Está prestes a arrancar a 13ª edição do IndieLisboa. O Festival Internacional de Cinema Independente acontece entre 20 de Abril e 1 de Maio e traz, este ano, o habitual leque vasto de estreias e clássicos recuperados, incluindo uma homenagem a Paul Verhoeven.

São 289 os filmes que integram a programação do 13º IndieLisboa. Entre eles, estão 40 filmes portugueses. Fazem parte da competição internacional títulos como “Balada de um batráquio”, com o qual Leonor Teles venceu o Urso de Ouro para curtas-metragens, em Berlim; “Olmo e a gaivota”, de Petra Costa e Lea Glob; “Ascensão”, de Pedro Peralta; “Viktoria”, de Mónica Lima; e a animação “Chatear-me-ia morrer tão joveeeeem…”, de Filipe Abranches. Entre os registos nacionais, poderão ainda ser vistos “Cartas da Guerra”, de Ivo M. Ferreira e “A Vossa Terra”, de João Mário Grilo.

A abertura, que acontece esta quarta-feira, sera feita com “Love & Friendship”, filme de Whit Stillman (homenageado pelo IndieLisboa em anos anteriores), a partir de uma história de Jane Austen. O encerramento, no último dia do festival, fica a cargo de Mia Hansen-Love e do seu “L’avenir”, que arrebatou o prémio de melhor realização, este ano, em Berlim.

Mas o IndieLisboa já começou a mexer, recuperando na festa de antestreia o clássico “RoboCop” de Paul Verhoeven. O realizador holandês é o grande destaque do festival deste ano, que faz uma retrospectiva integral da sua obra. Não faltarão filmes como “Turks Fruit”, “Showgirls” e “Basic Instinct”.

Nessa mesma festa de antecipação do Indie, coube às Pega Monstro dar o pontapé de saída da programação musical a que o festival já nos habituou, num concerto que decorreu no Liceu Camões. A agenda do IndieLisboa vai trazer ainda concertos dos The Parkinsons (eles que são destacados no festival com a exibição do documentário “The Parkinsons: A Long Way to Nowhere”) e de Ghost Hunt. Na secção musical, o IndieLisboa mostra documentários sobre Janis Joplin, Sharon Jones, Jaco Pastorius e Leon Russel. “Tecla Tónica” de Eduardo Morais foca a pop electrónica portuguesa e enriquece o IndieMusic, faceta musical do festival de cinema.

O IndieLisboa decorre no Cinema São Jorge, na Culturgest, na Cinemateca e no Cinema Ideal.

Texto: Filipa Moreno

You May Also Like

Novas datas para os concertos dos The Toy Dolls em Portugal

Orquestra Jazz de Matosinhos e Kurt Rosenwinkel celebram 10 anos de “Our Secret World”

“Exposição Invisível” chega à Culturgest com curadoria de Delfim Sardo

Exposição “Epicentro: Milagre” tem curadoria do festival Tremor

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt