First Breath After Coma no Sabotage

Chegaram de Leiria para tomar Lisboa de assalto. Nas mãos as armas que empunhavam revelaram-se certeiras para o alcance dos objectivos a que se proponham. Guitarra, baixo, teclas e bateria foram utilizadas com inteligência e eficácia deixando o «inimigo» rendido, mas não a pedir clemência.

O campo de batalha, apelidado de Sabotage Rock Club, acolheu um bom punhado de gente que abandonou as trincheiras irremediavelmente atingidos pelas munições em forma de música disparadas pelos First Breath After Coma.

Se a idade é um posto, no caso da banda de Leiria é uma esperança no futuro da boa música que por cá se faz, pois apesar de bastante jovens os músicos Roberto Caetano, Telmo Soares, Rui Gaspar e Pedro Marques demonstraram saber o que querem e para onde vão.

Com o alinhamento assente no seu mais recente registo discográfico, The Misadventures Of Anthony Knivet, os First Breath After Coma interpretaram ainda alguns temas mais antigos, como «Wait». Para o nome apoiaram-se numa música dos Explosions in the Sky, banda que os inspira na opção do género musical que seguem, o post-rock. Ao Sabotage trouxeram aquilo que podemos apelidar de verdadeiro amor à música, e tal percebeu-se na interpretação sentida de temas como «Almadraba», «Apnea» ou «Knivet», esta última referente à personagem que dá nome ao álbum.

Momento importante da noite foi a interpretação de «The Escape», música que todos reconheceram mais facilmente, pois serviu de divulgação ao registo que agora chega às lojas.

Ao longo do concerto que se desenrolou num crescendo de intensidade, sentimos as influências que a banda não nega: uns Sigur Rós que desde a Islândia por ali deixam não só o etéreo da paisagem musical, mas também o toque da voz de Jónsi na de Roberto Caetano, uns japoneses Mono que descobrimos neste ou naquele acorde mais intenso da guitarra, e, claro, uns Explosions in the Sky.

Mas mais do que qualquer influência que ali possamos inevitavelmente reconhecer, os First Breath After Coma mostraram ser capazes de trilhar o seu próprio caminho, pois, tal como nos confessou um seu conhecido de Leiria, «os miúdos só querem fazer isto, música», e da boa, acrescentamos nós.

Texto: Sandra Pinto
Fotos: Luís Pissarro

A Look Mag é Media Partner do Sabotage Rock Club.

You May Also Like

Super Bock atua no Montreux Jazz Festival

Palas lança EP “Causa Perdida”

25 anos de inspiração: Super Bock homenageia a música

The Walks lançam novo vídeo “I guess…”

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt