Deadman Dance, o trio que deixou a guitarra para dar lugar ao violino distorcido

Deadman Dance, o trio que deixou a guitarra para dar lugar ao violino distorcido

Oriundos do Brasil os Deadman Dance desconstroem o formato clássico de um trio de rock ao propor sonoridades cruas, trituradas em fuzz, como voz de um inusitado violino protagonista.

Entre o grunge, stoner rock, punk e música brasileira, surge um som único.

Inicialmente instrumental, o projeto do violinista Eduardo Geraissate, passou a contar também com sua voz, letras em inglês, a bateria swingada
de Rafaela Antonelli e o baixo melódico de Henrique Codonho.

You May Also Like

À conversa com Julita Santos sobre The Great Lisbon Club 2021

À conversa com Julita Santos sobre The Great Lisbon Club 2021

Farra Fanfarra celebram 15 anos com novo espetáculo e disco Puzzle

Farra Fanfarra celebram 15 anos com novo espetáculo e disco Puzzle

Sons da Mongólia no Museu do Oriente

Sons da Mongólia no Museu do Oriente

Musicálogos, a mais recente iniciativa da Capote Música, são primeiros encontros entre compositores de diferentes áreas musicais

Capote Música apresenta Musicálogos

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt