Brands That Matter: FIA e o melhor do artesanato nacional e internacional

A maior feira de artesanato da Península Ibérica e a segunda maior da Europa regressou à FIL de 25 de junho a 3 de julho, com 3 pavilhões e mais de 30 países representados. Para fazer o balanço desta edição falámos com Carla Borges Pita, gestora da FIA Lisboa.

Como e quando nasceu a feira?
A FIA Lisboa festejou este ano 34 edições. É uma das feiras mais icónicas e mais aguardadas no calendário da FIL. A população da grande Lisboa já conhece este evento e sabe que o mesmo se realiza sempre no final de junho. É com muito orgulho que somos o evento com a maior e melhor oferta concentrada de artesanato nacional, internacional e gastronomia. A FIA consegue ser líder na Península Ibérica e ocupa a segunda posição a nível europeu, assumindo-se na nossa cidade de Lisboa como o maior espaço de articulação entre cultura, património, recursos naturais e a diversidade dos agentes económicos direta e indiretamente envolvidos nas economias locais.

Qual a missão e filosofia do evento?
A FIA Lisboa é uma plataforma de excelência para a promoção da identidade e desenvolvimento dos territórios nacionais e estrangeiros ao nível económico, cultural e turístico. É propósito da FIA Lisboa apoiar o desenvolvimento regional e as culturas locais através de várias vertentes do património cultural material e imaterial – artesanato, gastronomia, recursos naturais, atividades culturais e turísticas, entre outras, procurando
evidenciar micro, pequenas e médias empresas nacionais, entidades e organismos oficiais ligados a projetos que visam a promoção e divulgação dos territórios, bem como a venda dos produtos regionais.

Mudou o vosso propósito ao longo dos anos?
Sendo um marco importantíssimo para a multiculturalidade, ao longo dos anos os dados têm confirmado o sucesso deste evento: cada vez mais, a FIA Lisboa torna-se um evento agregador do património  material e imaterial das regiões, A FIA Lisboa é uma oportunidade ímpar para mostrar o melhor de Portugal, das suas regiões, das suas gentes e costumes, os seus eventos culturais e musicais e a enorme riqueza e diversidade do seu artesanato,
transportando para a cidade de Lisboa o ambiente acolhedor e de alegria das festas regionais, proporcionando aos milhares de visitantes uma mostra e venda dos produtos das várias regiões de Portugal e de outros pontos no mundo.
A FIA pretende cada vez mais contribuir para a certificação e dignificação dos artesãos e do artesanato português de qualidade. Estamos certos de que, conseguindo sedimentar as sinergias existentes, estaremos a estimular o empreendedorismo e a criação de emprego, que contribuem decisivamente para o desenvolvimento das economias regionais
 
De que forma viveram a pandemia e como foi este regresso?
Foi com enorme satisfação que realizamos a 34.ª edição da FIA Lisboa. Satisfação porque, embora ainda em contexto pós-pandémico, esta mostra representa uma aposta séria e consciente no retomar do caminho que temos vindo a trilhar para o setor, com a elevada expectativa de que esta constitua uma viragem no desenvolvimento da catividade económica e sabendo o que representa para o artesanato nacional e para os seus artesãos. A nossa missão, através deste evento, tem sido o apoio ao desenvolvimento regional e suas culturas locais, procurando evidenciar artesãos, unidades produtivas artesanais e micro, pequenas e médias empresas nacionais, além de todas as entidades e organismos oficiais ligados a projetos que visam a promoção e divulgação dos territórios, tendo sempre como escopo a venda dos produtos artesanais.
 
Quantos expositores?
Contámos com cerca de 500 expositores.

Na mostra nacional tem sempre um destino convidado. Qual foi o deste ano e como realizam essa escolha?
O município convidado deste ano foi o município de Oleiros. Com uma grande tradição de artesanato, a vila, pertencente ao distrito de Castelo Branco, trouxe à FIA séculos de tradição.  
A preservação das técnicas tradicionais é parte fundamental da identidade de Oleiros, que tem vindo a apostar na criatividade e identidade dos seus habitantes locais, ao mesmo tempo que conserva os saberes antigos que se relacionam com a história do município.  
É exemplo disso a produção do linho. Fruto de uma tradição antiquíssima ligada à subsistência das famílias na região, o trabalho do linho – aplicado na confeção de toalhas, lençóis, camisas, entre outros produtos – é hoje preservado por artesãos em algumas freguesias do município.
Estes produtores conservam as técnicas manuais e os instrumentos também de produção artesanal, constituindo um exemplo vivo de uma tradição ancestral. A confeção do linho esteve representada por Adélia Pires, do Teares do Estreito.
Também contámos com a presença do trabalho de filigrana em arame, ferro e chapa, representado pelo artesão Jorge Marquez do Atelier de Arame e de Linho; com as esculturas em pedra e ferro de Luís Pinheiro; e com o trabalho com pedras da ribeira da artesã Filomena Marias, que reproduz temas diversos do quotidiano e paisagens da natureza.
 
Relativamente ao número de expositores estrangeiros há uma grande diferença em números de presença e destinos, comparativamente com o antes pandemia?
A diferença não é significativa, sendo que, a nível internacional, esta edição a FIA contou com novas presenças, nomeadamente Cuba, Irão, Argélia e Tunísia, não deixando de referir as demais tão nobres presenças de Marrocos, Senegal, Quénia, Perú, Espanha, entre outros.

Já temos número de visitantes desta edição? Estão em linha com as vossas previsões?
Contámos com mais de 44 mil visitantes, o que num ano ainda de “retoma” é muito significativo.

Imagino que um evento desta envergadura leve bastante tempo a organizar. Já estão a pensar na edição 2023?
Não só estamos a pensar, como já estamos a trabalhar para tal. A próxima edição da FIA Lisboa irá decorrer de 24 de junho a 2 de julho de 2023.

You May Also Like

Brands That Matter: 2022 o regresso da música a Paredes de Coura com a Vodafone

Testado & Aprovado: os gelados italianos da Gelateria La Romana

O exercício físico na ajuda ao combate à celulite

Testado & Aprovado: KIT Viagem Holon

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt