7º Festival Internacional de Solos regressa em Novembro

A 7ª edição do FIS – Festival Internacional de Solos que, este ano, acontece nos dias 25 e 26 de novembro, no Cine-Teatro Garrett, na Póvoa de Varzim, oferece um programa multidisciplinar e intimista num cruzamento de abordagens artísticas que vão desde a dança, ao circo, teatro e música. São dois dias dedicados à arte performativa, com projectos com linguagens, premissas e cruzamentos artísticos, cujas características identitárias, explorações e práticas são desenvolvidas no palco sob o formato de solo.

Dois dias de teatro, circo, dança e música

A 7ª edição do FIS arranca a 25 de Novembro, às 21h00, com NU#03, uma performance a solo, enquadrada no segmento de teatro, que busca o encontro com o espectador através de uma exploração cénica que abre vínculos e pontos de vista sobre o lugar que ocupamos na relação com o outro. Um espectáculo da autoria do Teatro do Frio – um colectivo artístico inserido no Norte do país. De seguida, às 22h15, a sala de actos do Cine-Teatro Garrett recebe INMUNDA, uma apresentação da artista espanhola Janika Company num solo que fala da intimidade íntima de uma mulher sozinha na sua casa de banho.

O segundo dia – 26 de Novembro – começa com Martha Coast Gim, um espectáculo da portuguesa Marta Costa que gravita em torno de diferentes linguagens artísticas: circo, clown, espaço e exercício à la minute. Com início às 18h00 na sala de ensaios do Cine-Teatro, “num acto de desconstrução do seu quotidiano, Martha desenvolve um método de exercícios físicos que lhe permitem ser livre, através da prisão em que habita”. Às 21h00, destaque para Duarte Valadares que traz à sala de actos um espectáculo de dança intitulado Rubble King.

É através da música popular brasileira contemporânea de Labaq – um “afago pop” como definiu a Rolling Stone -, que o Festival Internacional de Solos encerra a 7ª edição. O concerto intimista, que se revela numa performance que vai desde a intimidade e delicadeza à fúria, tem hora marcada às 22h10 e acontece na sala de actos do Cine-Teatro Garrett.

Dinamizar a cultura local através da arte performativa

O FIS celebra a sétima edição com a mesma energia resistente e necessária de criar, experimentar, produzir e partilhar a arte performativa, sob novas formas de ver e interpretar o que em palco se estrutura, acolhendo projectos a solo de artistas nacionais e internacionais que “precisam existir, existir livremente, existir como foram idealizados”, destaca a direcção.

A aposta na dinamização cultural através da arte performativa é uma das linhas de actuação do Festival que, todos os meses de novembro, desde 2015, convida a comunidade local a ver, pensar e sentir o detalhe e a proximidade. Este ano, apesar do programa se desdobrar em dois dias de espectáculos, o FIS convida a uma experiência “no palco onde a beleza e o terror são maximizados, onde todas as emoções e sentimentos se elevam ao infinito, quando um trabalho artístico agita suas entranhas, deixa-te levar, aproveita, curte, diverte-te e desfruta.”

O 7º FIS conta com o apoio oficial da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, do Cine-Teatro Garrett, da Norprint – A Casa do Livro, da tommasino design & environmental graphics e do Hotel Avenida.

You May Also Like

Festival Política chega a Coimbra já em fevereiro

NECRØ estreia DEATH BEATS, o primeiro single do novo projecto de João Vairinhos e Sara Inglês

Tara Perdida estão de volta com Vida Punk

Graveyard em Portugal no 28 de maio

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt