10 álbuns que influenciaram “Highlight”, disco de estreia de St. James Park

“Highlight” é o disco de estreia de St. James Park, projecto a solo de Tiago Sampaio (GrandFather’s House). O músico partilhou connosco 10 músicas que o inspiraram a escrever o novo trabalho.

Kate Bush – Hounds of Love
Ouvi muito este disco durante o início da composição. O tema Waking the Witch ficou na minha cabeça desde o início e foi a inspiração para fazer o interlúdio – badbedroom.

Kiamos – Blurred
Kiasmos foi o melhor presente de 2019. Foi este disco que me apresentou uma vertente do techno que gosto imenso agora, e não conhecia. Deve ter sido o disco que mais ouvi do último ano. Foi grande influência para a so-i-want.

Ólafur Arnalds – Re:member
A par de Nils Frahm, Ólafur Arnalds é um artista que respeito imenso, apesar de ter um estúdio invejável, tem uma destreza no piano incrível. Sou muito fá das harmonias e progressões de acordes que ele utiliza, na minha opinião é um bom exemplo de fusão entre música electrónica e música clássica. Não me importava um dia de ser amigo dele e perceber como funciona a sua cabeça.

Bon iver – i,i
Para mim é um dos génios do século XXI da música POP. Conseguiu criar um interface que ligada a um software que cria harmonias (tocadas em midi) respondendo ás notas que dá na voz.
Adoro todos os discos dele, a abordagem que dá aos temas é muito boa, é difícil escolher um álbum.

The White Stripes – Elephant
Devem ser dos discos que mais me inspirou desde que comecei a fazer música, é das minhas bandas preferidas de sempre. Ajudou imenso a conhecer-me enquanto músico e pessoa. Não influencia diretamente este disco mas acaba por estar presente indiretamente em tudo o que faço, ainda hoje em dia.

The blaze – Dancehall
Conheci The Blaze em Janeiro de 2019 em Paris, estava na casa de um amigo de longa data que gosto imenso, estávamos só a partilhar música, quando de repente ele colocou este tema a dar. A partir desse dia comecei a consumir imenso este disco, principalmente para tentar desconstruir e analisar a forma como eles produzem os temas.

St. Vincent – Masseduction
Tenho uma crush por esta senhora desde o primeiro video que vi dela, estava a fazer uma versão live da “Dig A Pony” dos Beatles. Tenho acompanhado o trabalho dela desde os últimos 4 álbuns e é um dos exemplos que me influenciam imenso na forma de tocar guitarra e abordagem aos temas.

Son Lux – Brighter Wounds
Ryan Lott é outro exemplo do que pode ser um génio atrás de uma banda. Ele consegue colocar tanta dinâmica, tanta tensão, tanta energia e alma nos temas. Durante a composição do meu disco, ia correr quase todos os dias antes de ir para o estúdio, e esta foi a banda sonora de muitas corridas. Chegava sempre muito inspirado para compor.

Jamie XX – In Colour
Comecei a compor o tema L#W que tem a participação do Noiserv, depois de ter passado uma semana a tentar perceber e identificar sons deste disco. Ainda hoje é bastante complexo para mim perceber como é que ele o fez. Mas a verdade é que ajudou imenso para a composição deste tema.

War on Drugs – A Deeper Understanding
Durante grande parte dos dias de 2019 colocava este disco a dar logo pela manhã quando acordava. É engraçado perceber duas coisas agora: A primeira é que todo o ambiente alegre presente na minha música deve ter vindo em parte daqui. A segunda é que já não consigo ouvir mais este disco.

You May Also Like

À conversa com Madalena Palmeirim

Silente, novo projecto de Miguel Dias, lança single “Em Espera”

À conversa com Miguel e Gonçalo Almeida dos Phoenix Clove

À conversa com o artista urbano Miguel Mazeda aka Guel Do It

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt