Quinta da Alorna surpreende com quatro novos brancos

A Quinta da Alorna apresenta as novas colheitas monocastas. Quatro vinhos brancos que se juntam ao portefólio da casa centenária ao qual trazem uma conjugação de tradição secular, inovação e modernidade. Sempre com a mestria da enóloga Martta Reis Simões.

Quinta da Alorna Sauvignon Blanc 2017

Proveniente dos terrenos de transição entre a Lezíria e a Charneca, o Quinta da Alorna Sauvignon Blanc 2017 resulta de uma vindima manual de excelência após um processo de maturação de elevado controlo. O tom amarelo esverdeado e o aroma exuberante revelam uma fusão harmoniosa de notas tropicais de ananás, toranja e goiaba, com notas herbáceas de espargos e erva cortada. Resultando num sabor estruturado e revelando um toque distinto de complexidade e uma boa mineralidade que combina na perfeição com a fruta tropical madura, demonstra um final de boca longo, persistente e saboroso.

Quinta da Alorna Alvarinho 2017

O Quinta da Alorna Alvarinho 2017 nasce após uma vindima manual durante o período fresco do amanhecer e uma fermentação em cuba de inox.
A inconfundível cor amarela citrina surge conjugada com o aroma distinto, pontuado por notas de fruta amarela, como pêssego e marmelo, criando um sabor complexo que dá palco a um ligeiro toque floral na boca bem enquadrado com a sua acidez natural.

Quinta da Alorna Arinto 2017

Produzido a partir de uvas provenientes das duas zonas distintas da propriedade – Lezíria e Charneca –, o Quinta da Alorna Arinto 2017 é já um clássico desta Quinta e um bom exemplo das potencialidades desta casta da margem esquerda do rio Tejo, seduzindo pela sua cor amarela esverdeada e pelo aroma intenso, repleto de notas cítricas, banana e chá verde, sensações aromáticas que confirmam um final de boca persistente.

Quinta da Alorna Verdelho 2017

O Quinta da Alorna Verdelho 2017 é uma criação com quase 10 anos que se afirmou desde a primeira colheita. O tom amarelo citrino indica o aroma limonado e a frutos tropicais, com predominância do maracujá. Por sua vez, a acidez vem equilibrar com o corpo redondo, denotando o ligeiro toque herbáceo que confere complexidade e elegância, sendo que o final de boca é fresco e persistente.

You May Also Like

Descubra a Escola da Casa IKEA

Cada planta no seu vaso com a La Redoute

Chicco partilha mais um Natal com a Ajuda de Berço

Sabores de Natal chegam à baixa de Lisboa