Portugal recebe FilmIn, o Netflix do cinema independente

Chegou a Portugal a plataforma FilmIn. Nascida em Espanha, alarga-se agora ao plano ibérico aquela que pretende ser a ferramenta de democratização do cinema independente. Uma plataforma Video on Demand, com um catálogo indie e de autor.
Ao contrário do Netflix, a FilmIn foca-se num catálogo sobretudo de filmes. Terá também séries e curtas, a partir do próximo ano, devendo ir buscar títulos europeus para preencher estas categorias.

É também a partir do próximo ano que serão lançadas várias novidades e introduzidas melhorias na plataforma. Para já, são perto de 500 os títulos de filmes disponíveis, mas a empresa espanhola promete que este número crescerá mensalmente. Chegará a seu tempo uma colecção exclusiva de produção portuguesa, mas, para já, podem ser vistos filmes como “Cartas da Guerra”, de Ivo M. Ferreira; “Sangue do meu sangue”, de João Canijo; “João Bénard da Costa: Outros amarão as coisas que eu amei”, de Manuel Mozos; e títulos de Miguel Gomes como “As Mil e Uma Noites” e “Meu Querido Mês de Agosto”. A aposta nacional será uma das linhas de força da FilmIn, que deverá trazer a partir de 2017 não só mais títulos como também a legendagem dos filmes portugueses noutras línguas, para que possam ser incluídos nos catálogos espanhol e francês (quando o serviço for lançado em França).

Já disponíveis estão também colecções de Jim Jarmusch e Visconti. Há ainda listas dedicadas ao cinema infantil, a filmes LGBTI e a clássicos, incluindo esta última nomes como Fellini, Bresson e Ferreri. Nos filmes sobre música, há títulos sobre The Stone Roses, The National, Pulp, Joy Division e Ian Curtis, Duran Duran e o mundo da Tropicália. Não falta o inevitável “Searching for Sugarman”.

filmin

Quanto às novidades técnicas, prevê-se para breve que a plataforma esteja disponível em Smart TVs, podendo já ser utilizada nos dispositivos móveis, através do site e aplicação.

Já no que aos pagamentos diz respeito, o acesso ao serviço é mensal e sem fidelização. Novidade da FilmIn é que permite também o aluguer individual de títulos. Para o lançamento, a FilmIn oferece um mês de utilização gratuita.

A empresa não arrisca números para definir o sucesso da entrada da FilmIn em Portugal, mas recorda que Espanha tem cerca de 30 mil registos e 10 mil subscrições médias mensais. A estratégia em Portugal passará por complementar a actual oferta de cinema independente e de autor, o segmento onde pretende estar. Ficam assim abertas portas a várias parceiras, que a organização ainda não anunciou. Esta é a fase de colaboração com as distribuidoras e produtoras, informam os responsáveis da FilmIn.

O lançamento da FilmIn fica marcado pela antestreia online do último documentário de Werner Herzog, “Eis o Admirável Mundo em Rede”, a 19 de Novembro, bem como uma homenagem a Isabelle Huppert, a propósito da estreia em sala de “Elle”, de Paul Verhoeven.

Saiba mais em www.filmin.pt

Texto: Filipa Moreno

You May Also Like

Termine e comece o ano com gargalhadas no SOLRIR

Tantas Palavras: a vida e a palavra de Chico Buarque

Teatro Nacional D. Maria II acolhe Quartett

Sabores de Natal chegam à baixa de Lisboa