Portugal recebe FilmIn, o Netflix do cinema independente

Chegou a Portugal a plataforma FilmIn. Nascida em Espanha, alarga-se agora ao plano ibérico aquela que pretende ser a ferramenta de democratização do cinema independente. Uma plataforma Video on Demand, com um catálogo indie e de autor.
Ao contrário do Netflix, a FilmIn foca-se num catálogo sobretudo de filmes. Terá também séries e curtas, a partir do próximo ano, devendo ir buscar títulos europeus para preencher estas categorias.

É também a partir do próximo ano que serão lançadas várias novidades e introduzidas melhorias na plataforma. Para já, são perto de 500 os títulos de filmes disponíveis, mas a empresa espanhola promete que este número crescerá mensalmente. Chegará a seu tempo uma colecção exclusiva de produção portuguesa, mas, para já, podem ser vistos filmes como “Cartas da Guerra”, de Ivo M. Ferreira; “Sangue do meu sangue”, de João Canijo; “João Bénard da Costa: Outros amarão as coisas que eu amei”, de Manuel Mozos; e títulos de Miguel Gomes como “As Mil e Uma Noites” e “Meu Querido Mês de Agosto”. A aposta nacional será uma das linhas de força da FilmIn, que deverá trazer a partir de 2017 não só mais títulos como também a legendagem dos filmes portugueses noutras línguas, para que possam ser incluídos nos catálogos espanhol e francês (quando o serviço for lançado em França).

Já disponíveis estão também colecções de Jim Jarmusch e Visconti. Há ainda listas dedicadas ao cinema infantil, a filmes LGBTI e a clássicos, incluindo esta última nomes como Fellini, Bresson e Ferreri. Nos filmes sobre música, há títulos sobre The Stone Roses, The National, Pulp, Joy Division e Ian Curtis, Duran Duran e o mundo da Tropicália. Não falta o inevitável “Searching for Sugarman”.

filmin

Quanto às novidades técnicas, prevê-se para breve que a plataforma esteja disponível em Smart TVs, podendo já ser utilizada nos dispositivos móveis, através do site e aplicação.

Já no que aos pagamentos diz respeito, o acesso ao serviço é mensal e sem fidelização. Novidade da FilmIn é que permite também o aluguer individual de títulos. Para o lançamento, a FilmIn oferece um mês de utilização gratuita.

A empresa não arrisca números para definir o sucesso da entrada da FilmIn em Portugal, mas recorda que Espanha tem cerca de 30 mil registos e 10 mil subscrições médias mensais. A estratégia em Portugal passará por complementar a actual oferta de cinema independente e de autor, o segmento onde pretende estar. Ficam assim abertas portas a várias parceiras, que a organização ainda não anunciou. Esta é a fase de colaboração com as distribuidoras e produtoras, informam os responsáveis da FilmIn.

O lançamento da FilmIn fica marcado pela antestreia online do último documentário de Werner Herzog, “Eis o Admirável Mundo em Rede”, a 19 de Novembro, bem como uma homenagem a Isabelle Huppert, a propósito da estreia em sala de “Elle”, de Paul Verhoeven.

Saiba mais em www.filmin.pt

Texto: Filipa Moreno

You May Also Like

“Em tudo havia beleza” de Manuel Vilas

Poesia Completa de Maria Alberta Menéres

Clube dos Poetas Vivos promove encontro semanal online sobre poesia até ao final de Junho

Cinco museus unidos na exposição “Um Mundo de Máscaras”

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt