Moules & Beer abre em Lisboa

Não sabemos se Tim Tim gostava de moules ou se o seu criador Hergé também apreciava tal petisco, mas a verdade é que este prato originalmente belga chegou a Portugal para fazer furor, surpreendendo pelo conceito, por cá original e bastante inovador.

A aventura, que começou em Cascais, onde as moules são servidas na companhia de uma vasta selecção de gin, chegou recentemente à capital onde tomou como morada um dos mais tradicionais bairros lisboetas, o de Campo de Ourique.

Fomos conhecer espaço e conceito num solarengo domingo de Outono, já com sabor a Inverno. Por tradição o almoço do sétimo dia da semana é dedicado à família, e este não foi diferente, nem para nós nem para as muitas famílias que enchiam quase por completo o Moules & Beer. Sim, leu bem, é cerveja e não gin como referimos anteriormente. Na verdade, os sócios Vasco Simões de Almeida e João Benito Garcia pretenderam para este segundo restaurante um ambiente mais cosmopolita e urbano, pelo que elegeram a cerveja como bebida principal. A selecção é vasta e variada, passeando-se entre inúmeras opções. Nós optámos por uma cerveja preta belga e outra mais clara oriunda da Alemanha. Em terra de boas cervejas, como é Portugal, não ficámos desiludidos com a escolha, pois ambas acompanharam na perfeição as moules que foram chegando à mesa.

As moules, ou mexilhões em bom português, são as rainhas deste conceito o qual explora as potencialidades deste alimento como até agora não pensámos ser possível. Vêm acompanhadas de estaladiças batatas fritas ou pasta al dente, tudo de acordo com o gosto pessoal de cada visitante. Depois, e além da sugestão da semana, que neste caso se andou a passear por sabores e aromas mais tropicais, há todo um conjunto de sugestões de moules para todos os palatos: para os mais aventureiros com caril e manga, os mais patriotas à Bulhão Pato, os mais tradicionais à belga com um molho de natas, os mais exóticos à thai com gengibre, os mais afoitos com picante de tomate e malagueta, os mais latinos com molho de manjericão, pinhões e queijo parmesão e os mais comedidos ao natural.

Para entrada, e além da couvert servida na «talega» do pão, expressão antiga para saco do pão, uma tábua de tártaro de salmão, tártaro de atum e mexilhão frito. Irresistível! Quem não aprecia as moules pode sempre optar pelo naco de lombo fatiado, que extremamente bem conseguido fez as delicias, no nosso caso, do mais jovem membro da equipa. No final, prato vazio sinal de total aprovação! De limão, framboesa ou chocolate qualquer uma das sobremesas vai agradar, tanto na dose, simpática, como no sabor e aroma.

Uma referência ao facto de o Moules & Beer funcionar com o sistema de open kitchen, ou seja, a separar os cozinheiros dos clientes um vidro transparente através do qual satisfazemos a nossa curiosidade de ver como tais iguarias são confeccionadas.

Chegámos ao Moules & Beer para ser surpreendidos e saímos completamente rendidos, às moules, às cervejas e à simpatia de um staff jovem, bonito e muito atencioso.

www.facebook.com/MoulesAndGin/info

Texto: Sandra Pinto
Fotos: Luís Pissarro

You May Also Like

The Gift no Campo Pequeno para celebrar o desconfinamento (reportagem fotográfica)

Histórias do vinho com Manuel Barros e Filipe Barros da Quinta Dona Matilde

Já conhece a cerveja Selecção 1927 Barrel Aged Blond Ale?

Herdade da Lisboa lança nova gama de vinhos com o mesmo nome

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt