«A Irmã» de Sándor Márai

A Irmã01-lookmag-pt

Foi em 1946 que o escritor húngaro Sándor Márai escreveu «A Irmã», obra que deu seguimento a «As Velas Ardem Até ao Fim», e com a qual o público voltou a tomar contacto com a escrita de enorme sensibilidade e talento deste grande autor.

Em «A Irmã» tomamos contacto com Z., pianista que no auge da carreira sofre de uma rara doença viral que o vai levar quase até à morte. A acção passa-se em Florença, mais propriamente num hospital desta cidade italiana, onde Z. é internado e onde encetará um dialogo forte e profundo com o seu médico.

A simples frase «não quero que morra», sussurrada num momento de delírio, provoca em Z. um repensar da sua vida, da sua existência. Regressa à vida, luta e sobrevive.

Nas páginas de «A Irmã» o autor escreve sobre paixão, sofrimento, doença, êxtase e o mistério da morte, numa escrita que nos transporta, a nós leitores, para um mundo onde as são abordadas as principais preocupações do ser humano.

De referir que este foi o último livro que Sándor Márai publicou no seu país de origem, antes de partir para o exílio.

«A Irmã»
Sándor Márai
D. Quixote
www.dquixote.pt

Texto: Sandra Pinto

You May Also Like

“Bairro Sem Saída” de Fernando Ribeiro

À volta das letras com Cláudia Ganhão sobre “O Teu Minimalismo”

“Tempo de fuga”, de Amadeu Lopes Sabino

Curiosidade: 8 coisas que não sabe sobre James Joyce

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt