À descoberta de Santa Maria da Feira

Assim que foi anunciado que 2014 seria o ano de estreia da Comic Con em Portugal que cá em casa já ninguém teve descanso. Os preparativos para passarmos o fim de semana de 5, 6 e 7 de dezembro começaram cedo, pois estando a Look Mag sedeada em Lisboa e acontecendo o evento a Norte muitas questões de logística se colocavam. Uma das mais importantes era claramente onde dormir, pelo que, e fazendo desta uma viagem igualmente cultural e de descobertas desta zona do país, optámos por ficar em Santa Maria da Feira onde o ibis hotel nos acolheu muito bem, como sempre. Depois foi partir à descoberta de Santa Maria da Feira e arredores, numa aventura que agora aqui partilhamos.

Dona de uma excelente localização geográfica, A cidade de Santa Maria da Feira é bastante antiga. Era na zona circundante do castelo que não só os povos se foram instalando, como era ai que comercializavam os mais diversos produtos (sal, alfaias, ferramentas, produtos das colheitas, entre outros), dando assim origem à Terra de Santa Maria. Como essas trocas se assemelhavam a uma espécie de feira em honra da Virgem Maria, nasce a designação de Feira. Santa Maria da Feira foi elevada a cidade no dia 14 de Agosto de 1985 e, até então, era conhecida como Vila da Feira. As origens da cidade são extremamente remotas mas a sua importância é inabalável, pois é um dos principais municípios portugueses.

Viagem pela história

01-castelo-St_Maria_Feira-LookMag_ptCastelo de Santa Maria da Feira
Do cimo do monte é ele que comanda os destinos e a história de Santa Maria da Feira. O castelo que serve de cenário à vida da localidade não deixa ninguém indiferente. De inspiração gótica, mais parece saído de um conto de fadas. Imponente e austero, da sua arquitetura super bem preservada sobressaem as torres cimeiras com coruchéus e quatro pináculos a ornamentar. As poderosas muralhas encontram-se protegidas por ameias seteiradas e troneiras dando um ar de fabulosa imponência a cada recanto. Os mais pequenos detalhes estão ali bem preservados como que a testemunhar que a história tem muito para deixar de herança às gerações futuras. No exterior da muralha impossível não visitar a lindíssima capela dedicada a Nossa Senhora da Encarnação, bem como a Casa da Capelania, que no seu estilo barroco seiscentista deixa qualquer um encantado. Com o decorrer dos anos, a população de Santa Maria da Feira foi-se deslocando para fora das muralhas, construindo em redor do castelo a vila que hoje o circunda. Nas imediações do castelo foram então surgindo habitações, mas também muito comércio.

03-Orfeao-lookmag_ptCentro de Cultura e Recreio do Orfeão da Feira
Polo dinamizador das artes na cidade da Feira, o Centro de Cultura e Recreio do Orfeão da Feira acolhe projetos tão variados como o Coro de Amadores de Música, constituída por 55 elementos com idades compreendidas entre os 20 e os 80 anos, o Grupo de Danças e Cantares Regionais, com um vasto leque de danças, cantares, trajes, tradições, usos e costumes, e a Oficina de Artes, que dinamiza aulas de música, teatro e dança.

04-Quinta_Castelo-LookMag_ptQuinta do Castelo
Espaço natural com mais de 300 anos de história, localizado numa das encostas do Castelo da Feira, a Quinta do Castelo está repleta de árvores centenárias, trilhos, um lago artificial atravessado por uma ponte e uma gruta artificial de rara beleza que faz lembrar a arte de Gaudí. Um conjunto que convida a um passeio contemplativo e relaxante pela natureza. Na altura que visitámos Santa maria da Feira realizava-se “Perlim” um evento natalício dedicado aos mais pequenos.

02-Igreja_Convento_Loios-LookMag_ptIgreja Matriz e Convento dos Lóios
Convento maneirista com igreja de planta em cruz latina, nave única e claustro de dois pisos. Devido às suas características, integra a tipologia das igrejas monumentais seiscentistas de feição classicista e erudita da região portuense. Também a azulejaria da capela-mor e o transepto são seiscentistas, sendo o retábulo-mor barroco do Estilo Nacional e os retábulos laterais barrocos da época de D. Pedro II, na transição dos séculos XVII e XVIII. No centro do pátio do convento existiu em tempos um chafariz barroco, agora instalado na praça em frente à Câmara Municipal.

05-Museu_Loios-LookMag_ptMuseu Convento dos Lóios
Museu regional que promove exposições temporárias nacionais e internacionais e onde se pode visitar a exposição permanente onde ficamos a saber mais sobre a evolução e o desenvolvimento das Terras de Santa Maria. Podem também ser vistos diversos documentos oficiais que atestam a história politica do município.
O Castro de Romariz, em excelente estado de conservação, é um povoado fortificado datado do séc. V a.C., com níveis de ocupação até ao séc. I d.C., e considerado uma das estações arqueológicas mais significativas da região de Entre o Douro e Vouga. Identificado em meados do séc. XIX, com a descoberta do tesouro de Romariz foi deixado ao abandono durante muito tempo, mas em 1980 iniciou-se a uma nova fase de trabalhos arqueológicos com o estudo das origens e evolução do habitat castrejo, identificando as diversas fases de ocupação proto-histórica e romana. Necessária pré-marcação de visita.

06-Igreja_Matriz-LookMag_ptIgreja da Misericórdia
Apesar de fundada em 1594, foi apenas em 1690 que se ergueu o atual edifício, tendo o terramoto de 1755 feito desabar a abóbada da nave, mais tarde reconstruída. Possuidora de um género de arquitetura simples, a igreja foi construída segundo a tipologia chã nacional, antecedido por uma escadaria de vários patamares com uma fonte decorativa. De nave única, no seu interior destaca-se a capela-mor coberta por uma abóbada em caixotões, e o retábulo-mor, um bom exemplo do barroco da época de D. Pedro II. Fazem ainda parte do espólio da igreja duas esculturas, uma de pedra de Ançã do século XV, representando um santo bispo, e a outra, de madeira, representa uma Senhora das Dores da segunda metade do século XVIII. Destacamos igualmente a custódia de prata dourada, datada dos séculos XVII/XVIII, a píxide de prata dourada datada da segunda metade do século XVIII, e o cálice datado da mesma altura.

07-Jardim_Castelo-LookMag_ptJardins do Castelo
Vamos encontrar este bem cuidado jardim na encosta que dá acesso ao castelo. Repleto de árvores jovens e outras centenárias, este espaço de tranquilidade alterna entre o verde jovial da primavera e a bonita paleta de cores do outono. Vizinho do Museu Convento dos Loios e do parque infantil da Quinta do Castelo, é um dos espaços favoritos dos habitantes de Santa Maria da Feira para momentos tranquilos em família.

08-Rossio-LookMag_ptLargo Camões ou Rossio
É o centro de atividade de Santa Maria da Feira. Em seu redor lojas e restaurantes que ao fim de semana se enchem de pessoas em passeio. Regularmente ali se realizam feiras e mercados onde de tudo um pouco de vende e de compra. Destacamos a ponte de madeira e os silos onde antes se guardavam os cereais.

09-Câmara_Municipal-LookMag_ptCâmara Municipal
Imponente edifício que se encontra na confluência de dois espaços largos. A sua fachada esconde um conjunto de salas que hoje são habitadas pelos vários departamentos municipais. Em frente o chafariz barroco que em tempos se encontrava no centro do pátio do Convento dos Lóios.

10-Vhils-LookMag_ptDiorama Cork Faktory
Inaugurada no âmbito da 13.º edição do “Imaginarius”, o Festival Internacional de Teatro de Rua que se realiza em Santa Maria da Feira, a obra “Diorama Cork Faktory”, da autoria do artista Vhils, juntou a “estética do vandalismo”, invasiva e subversiva, com a produção industrial e os processos fabris. A peça exposta numa das paredes exteriores do edifício da Camara Municipal de Santa Maria da Feira integra-se na série
na Diorama. A escultura em cortiça de grande formato é rasgada por complexos recortes tridimensionais que formam o retrato de alguém cuja idade e experiência já pesam nos traços do rosto. Com esta peça Vhils teve a intenção de dialogar entre o ser humano e o local onde trabalha. Patrocinada pela corticeira Amorim, a peça reflete sobre o papel da indústria na economia.

11-Fugaças-LookMag_ptFogaças
Apelidada de Fogaça da Feira este pão doce nasceu de um voto ao mártir São Sebastião, em 1505, quando a região foi assolada por um surto de peste que dizimou parte da população. O cumprimento do voto incluía uma procissão que saía do Paço dos Condes e seguia pela Igreja do Convento dos Lóios, onde eram benzidas as fogaças, divididas em fatias, posteriormente repartidas pelo povo. Assim nasceu a Festa das Fogaceiras que tem lugar todos os anos a 20 de janeiro em Santa Maria da Feira. O formato desta iguaria tradicional lembra as torres de um castelo.

Em redor de Santa Maria da Feira

12-Visionário-LookMag_ptVisionarium
Situado em Santa Maria da Feira, o Visionarium desafia os visitantes a participarem de forma ativa numa excitante aventura científica. Classificado como um centro de ciência é, na verdade, um museu da ciência interativo. À semelhança da Cidade das Ciências de La Villette, em França, ou do Exploratorium, de São Francisco, nos Estados Unidos da América, no Visionarium é possível levar a cabo inúmeras experiências manipulando os equipamentos que ali se encontram em exposição. Iniciativa da Associação Empresarial de Portugal (AEP), o Visionarium constitui um amplo esforço no sentido de promover a cultura científica do país, algo cada vez mais essencial à educação das novas gerações. Efetivamente, o Visionarium pretende dar a conhecer, aos leigos, especialmente aos mais jovens, o mundo da ciência de uma forma simples e didática. As áreas de conhecimento terra, matéria, universo e vida são temas que constam de salas preparadas para esse propósito. O espaço físico do Visionarium é ainda constituído por um “experimentário”, uma sala de exposições temporárias e uma área ajardinada envolvente, onde se podem praticar inúmeras atividades lúdicas. O Visionarium integra ainda um planetário. Curioso é observar, em especial ao fim de semana e feriados, inúmeras famílias que ali vão praticar desporto ou simplesmente passear.

13-Museu_Papel-LookMag_ptMuseu do Papel Terras de Santa Maria
Espaço instalado num antigo engenho fundado em 1822, dá a conhecer aos visitantes a história da indústria do papel. As coleções que ali podem ser visitadas abarcam todo o concelho de Santa Maria da Feira, onde a indústria do papel tem sido, desde 1708, um setor fundamental da economia da região. Para além dos artefactos e da maquinaria utilizados, a exposição das marcas de água evidenciará as diferentes tipologias de filigranas criadas pelos fabricantes papeleiros das Terras de Santa Maria. Do imenso espólio documental, sobressai ainda o acervo de diferentes qualidades de papel, bem como papéis com marca de água dos séculos XVIII, XIX e XX, representativos da História do Papel em Portugal. De referir que em 2011 o museu ganhou o prémio de melhor museu português, atribuído pela Associação Portuguesa de Museologia. Quem visita hoje o Museu do Papel vai poder encontrar um novo núcleo da exposição permanente, a qual vem enriquecer a oferta do Museu do Papel com novos conteúdos interpretativos sobre a história mais recente da indústria de pasta e do papel em Portugal. Repartida em oito subnúcleos possibilita que o visitante “viaje” desde a floresta até ao contacto direto com os tipos de papel disponíveis para as mais diversas utilizações. A exposição visa também realçar a diversidade e sustentabilidade dos produtos papeleiros e o seu contributo para a renovação e valorização da floresta portuguesa, sublinhando a importância desta indústria para o desenvolvimento económico, social e ambiental do país.
Rua do Rio Maior, 338
4535-301 Paços de Brandão, Santa Maria da Feira

Outras sugestões

Museu de Santa Maria de Lamas
Fundado em 1950 e renovado em 2005, o Museu de Santa Maria de Lamas está rodeado por jardins de grande beleza povoados de estátuas e esculturas. Neste espaço os visitantes vão encontrara salas dedicadas à arte sacra, à indústria da cortiça, a mobiliário, etnografia, estatuária, ciências naturais, cerâmica e a curiosidades.
Parque de Santa Maria de Lamas, Santa Maria de Lamas

Zoo de Lourosa
Criado em 1990 e adquirido pela Câmara Municipal de Santa Maria da Feira em 2000, o Zoo de Lourosa é o único parque exclusivamente dedicado às aves em Portugal. A educação, a preservação de espécies ameaçadas e a investigação são as três funções principais do parque.
Rua do Parque, Lourosa

Onde ficar
Mais imagens no slideshow em baixo

Situado em Santa Maria da Feira, vizinho do Parque Empresarial Europarque e a poucos quilómetros das praias de Espinho e Esmoriz, o Hotel ibis Porto Sul Europarque possui fáceis acessos à autoestrada A1 e A29, permitindo chegar rapidamente à cidade do Porto. Desde o exterior o hotel mais se assemelha a uma casa de família, sentimento que se mantém ao sermos recebidos por um staff simpático e bastante solícito. A qualquer hora do dia somos sempre recebidos com um sorriso no rosto e uma palavra amável. Ao todo são 63 aposentos onde os visitantes podem relaxar depois de um dia de descobertas pelas redondezas. Cómodos e equipados com a “sweet bed by ibis”, cada quarto oferece uma noite de sono tranquila e retemperadora. Pela manhã é um pequeno-almoço saudável que aguarda pelos hóspedes. Com acesso grátis wi-fi à Internet em todo o hotel e um serviço de refeições 24 horas por dia, o Hotel ibis Porto Sul Europarque possui ainda duas salas de reunião totalmente equipadas. De referir que no verão, quando o calor aperta e as temperaturas sobem, a piscina do hotel é um dos espaços mais cativantes e requisitados.
Espargo Europarque
4520-153 Santa Maria da Feira

Para reservas:
http://www.accorhotels.com/pt/hotel-1729-ibis-porto-sul-europarque/index.shtml

Texto: Sandra Pinto
Fotos: Luís Pissarro

You May Also Like

Mão Morta no LAV não há frio que nos derrube

Foi à Comic Con Portugal 2019? Descubra se faz parte das nossas galerias de fotos

Lisbon Marriott Hotel recebe Hello Summer Wine Party

Especial Dia da Mãe no Serenity Spa

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt