Comida de Santo e tudo faz sentido


Lisboa é uma cidade surpreendente que consegue cativar vezes sem conta até os que nela vivem ou trabalham. Anos a calcorrear as suas ruas e basta olhar com mais atenção para descobrir novos espaços ou redescobrir renovados sítios. Foi assim com o restaurante Comida de Santo, que fazendo parte da vida do Príncipe Real surgiu aos nossos olhos como uma excelente novidade.

Com 32 anos de existência, o restaurante foi recentemente alvo de um processo de remodelação, surgindo agora verdadeiramente cativante. Para isso contribui o ambiente afável que nele se vive, a simpatia dos responsáveis, Flor e António, e claro, a gastronomia!

Em conversa com os seus proprietários descobrimos a história que por detrás dele se esconde. Uma história que teve início na década de 80 quando António viu na mercearia que ali existia um excelente espaço para dar vida a um sonho que já acalentava há algum tempo, abrir o seu próprio restaurante. A verdade é que 32 anos depois da sua abertura o que era um sonho é hoje um restaurante de sucesso, referência quando se pretende degustar em Lisboa a melhor gastronomia do lado de lá do Atlântico.

Fascinado pela cultura baiana, António baseou nela toda a filosofia que desde o primeiro dia deu vida ao Comida de Santo. Na decoração do espaço, no ambiente de elevado astral que ali se sente, na simpatia e sorriso rasgados de quem nos serve e, claro, na gastronomia que chega à mesa!

Povoada de aromas, as sugestões gastronómicas do Comida de Santo são dotadas de um imenso poder de nos elevar aos céus…obviamente que a belíssima caipirinha também desempenha um papel de suma importância nesta viagem, sendo ela a companhia mais do que perfeita das iguarias que Flor simpaticamente nos ia apresentando.

Uma coisa é certa, dieta ali não entra, pelo que aconselhamos que se muna da sua mais forte vontade de testar o seu palato com um jogo de texturas e aromas poderosos e, garantimos desde já, inesquecíveis. Pela nossa parte, e enquanto o mais jovem membro da equipa Look Mag optou por uma belíssima picanha, deixámo-nos levar pelo bobó de camarão. A perfeição com que a magia acontece ao degustarmos este prato não acontece muitas vezes, mas ali, àquela mesa tudo ganhou sentido e o Comida de Santo contornos de restaurante dos deuses. Mal sabíamos que de seguida o festim gastronómico iria subir ainda mais a fasquia com a chegada da feijoada à brasileira…ai sim, sentimo-nos transportados para as ruas de São Salvador com a Mãe de Santo a deitar as pedras da sorte que nos revelariam segredos do futuro.

Entre conversa e partilha de opiniões, as horas foram correndo, calmas como se quer quando sentados à mesa. Chegada a altura da sobremesa era preciso decidir…não, não foi difícil optar pois apelidado de melhor quindim do mundo era impossível não ser ele a nossa escolha. Doce, como se quer, suave, como deve ser, o quindim de coco do Comida de Santo é a cereja no topo do bolo, ou seja, é a melhor forma de terminar esta refeição.

Mas as sugestões do menu do Comida de Santo são muitas, podendo os visitantes escolher entre casquinha de siri e sopa de peixe, para entrada, vatapá e picadinho à mineira para prato principal e mousse de manga para sobremesas.

Para este ano o Comida de Santo propõe algo diferente a que deu o nome de Day Off, ou seja, todas as quintas-feiras os visitantes podem escolher entre caipirinhas a menos 50 por cento e ainda optar por um menu de feijoada a 15 euros.
Simultaneamente, desde o início do mês de janeiro que o Comida de Santo apresenta ao almoço uma redução de 25 por cento do preço dos pratos.

www.comidadesanto.pt

Comida de Santo
Calçada Engenheiro Miguel Pais, 39
1200 Lisboa
Tel. 213 963 339
[email protected]

Texto: Sandra Pinto
Fotos: Luís Pissarro

You May Also Like

The Gift no Campo Pequeno para celebrar o desconfinamento (reportagem fotográfica)

Histórias do vinho com Manuel Barros e Filipe Barros da Quinta Dona Matilde

Já conhece a cerveja Selecção 1927 Barrel Aged Blond Ale?

Herdade da Lisboa lança nova gama de vinhos com o mesmo nome

error: Conteúdo protegido. Partilhe e divulgue o link com o crédito @lookmag.pt