É um dos mais internacionais artistas portugueses, tendo realizado exposições individuais ou participado em colectivas, sempre em prestigiados espaços.

Casino Estoril inaugura nova exposição

Uma das maiores qualidades deste autor é a coerência da sua carreira. Boa pintura, técnica invulgar e peculiares composições, transformando objectos que lhe são familiares, um jarro de cerâmica, uma pequena caixa de madeira, algumas peças de fruta, uma toalha de linho ou as suas inconfundíveis estantes em indiscutíveis e qualificadas obras de arte. A sua temática é muito rica, sendo também uma referência na sua carreira os quiosques lisboetas e as paisagens urbanas de Lisboa, Porto, Macau e outras cidades, com um cromatismo específico de fundos de tonalidades escuras e fortes, grandes espaços citadinos, manchas verdes de arvoredos, monumentos e edifícios.

É um dos mais internacionais artistas portugueses, tendo realizado exposições individuais ou participado em colectivas, sempre em prestigiados espaços.

Jacinto Luís nasceu em 1941, em Maxieira, Fátima, e apenas com 19 anos foi procurar trabalho em Paris, onde em 1969 revelou o seu talento para o desenho e a pintura, iniciando-se na Arte como autodidacta no sentido absoluto do termo. Dois anos depois, em 1971, foi distinguido pelo Governo Italiano com uma bolsa de estudos, em Roma, onde frequentou a Academia das Artes e se manteve até 1975. Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, de 1982 e 1983, em Paris, onde passou a residir até 1991, tendo convivido com muitos dos artistas da Escola de Paris, de cujos ensinamentos certamente beneficiou. Fixou-se em Madrid em 1992 até 1997, estada de que não deixou de aproveitar, sabendo-se quão rica é a actividade artística daquela cidade. Pode dizer-se que Jacinto Luís entrou pela porta grande no mundo da Arte, pois realizou a sua primeira exposição individual, no nosso País, em 1980, na exigente Galeria 111, em Lisboa, cidade onde se viria a fixar a partir de 1997.

“Silêncio”
Jacinto Luís
Casino Estoril
Galeria de Arte
Até 15 de Maio
Das 15h00 às 00h00
Entrada livre

You May Also Like

Termine e comece o ano com gargalhadas no SOLRIR

Tantas Palavras: a vida e a palavra de Chico Buarque

Teatro Nacional D. Maria II acolhe Quartett

Sabores de Natal chegam à baixa de Lisboa